«

»

mar 17 2008

Profissional de tecnologia tem de entender muito mais que “informatiquês”

Artigo interessante extraído do UOL, na data de hoje: (http://economia.uol.com.br/planodecarreira/ultnot/infomoney/2008/03/17/ult4229u1415.jhtm)

—————————————————————————————————————-

“Apesar da área de Tecnologia da Informação (TI) estar com vagas sobrando, há poucos profissionais capacitados para ocupá-las, o que mostra que aqueles que ingressarem na carreira e se aperfeiçoarem terão grandes oportunidades.

Para se ter uma idéia, de acordo com dados do Ministério do Trabalho, a demanda por pessoas da área tende a chegar a 100 mil ao ano, em todo o Brasil. E o problema existe em outras partes do mundo: no Reino Unido, o déficit de 4,2% em 2007 passou para 6,8% este ano.

Para garantir espaço neste mercado, por sua vez, o profissional precisa ter algo além das exigências básicas, ou saber mais do que o “informatiquês”, segundo o diretor da New Age Software S/A, Ricardo Aun.

Capacitação

“Nos últimos anos, a evolução da Tecnologia da Informação, com a competitividade da economia, obrigou o profissional a se tornar especialista, mas não somente em TI. Ele deve entender também do negócio do cliente para poder prestar um melhor atendimento”, afirmou.

Como parte importante no crescimento comercial da empresa, o profissional da área tem que entender as regras do negócio, que são tão importantes como entender as linhas de códigos de tecnologia.

Inovação, criatividade, trabalho em equipe e comunicação são habilidades fundamentais para quem quer ter sucesso. “Vencerão aqueles profissionais mais hábeis, mais versáteis, mais adaptáveis e com uma gama de conhecimento geral e técnico capaz de suprir as estratégias de inovação de cada organização”, disse.”



Comente usando o Facebook!
0
0

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. George Albuquerque

    Este artigo está completamente correto, na empresa onde trabalho a filosofia é está mesmo. O conhecimento do negócio do cliente é muitas vezes mais valorizado que os conhecimentos técnicos em si !!!

    0

    0
  2. Adalberto Nuno

    Acho isso incorreto. Já que para se forma um profissional normal sem ser especialista, sem curso de pós graduação e cursos extra como certificações e idioma. Vamos começar pelo curso técnico +/- 4 anos (Cefet), curso de graduação +/- 5 anos. A soma desse dois cursos básicos são 9 anos. Quanto tempo leva para um profissional entender do negócio. Essas empresas de RH deverião ser mas objetivas.

    0

    0
  3. Marco Filippetti

    Adalberto, o cálculo está correto 🙂

    Porém, lembre-se que as empresas de RH buscam no mercado apenas o que seus clientes (as empresas) pedem…!

    O mercado tem vagas, mas algumas são mesmo difíceis de serem preenchidas dado o número de requisitos exigido. Para dar meu pitaco aqui, eu acho que as empresas de TI têm procurado um perfil mais generalista, mas apenas para alguns cargos. Exemplos de cargos que demandam este tipo de perfil:

    – Arquiteto de Soluções;
    – Engenheiro de Vendas e / ou de pré-vendas;
    – Consultor (depende do tipo, claro);
    – Gerente de Projetos.

    Abs!

    Marco.

    0

    0
  4. Adalberto Nuno

    Muito obrigado pelo esclarecimento. Concordo que alguns profissionais têm que ter conhecimento do negocio. Por desenvolver soluções especificas.

    0

    0
  5. CarlosEFBatista

    Muito obrigado pelo esclarecimento. Concordo que alguns profissionais têm que ter conhecimento do negocio. Por desenvolver soluções especificas.

    Porem a maioria das empresas solicitam uma formação exemplar só que o salário não corresponde ao gabarito do profissional algumas empresas chegam a ser uma piada como 1000 reais para um MCSE com CCNA e ainda querem te convencer que e muito bom salário.

    0

    0

Deixe uma resposta