«

»

jun 06 2008

Geração Y: Você se identifica com ela?

Pessoal,

Depois do excelente post do Marco sobre carreiras em Y, idéia que defendo e venho propagando a mais de 3 anos, quando comecei a dar aulas, encontrei as duas matérias abaixo (publicadas no site ITweb) sobre um assunto que considero interessante e passível de discussões e reflexões: Geração Y ou Geração Net – que, apesar da boa sacada de marketing, não faz referência ao Coronel Bóris Thuthenko e seu Skavurska, hein?! 😉

A primeira matéria é, na verdade, um artigo do Professor da FGV João Batista Brandão, refletindo sobre o comportamento dos integrantes desta geração. A segunda uma entrevista com Don Tapscott, diretor da New Paradigm e co-autor de Wikinomics e de outros dez livros.

1 – Artigo do Professor da FGV João Batista Brandão

2 – Entrevista com Don Tapscott

Ficam as perguntas:

  • Você é desta geração? Parcialmente ou Integralmente?
  • O que acrescentaria ou excluíria?
  • Isso é positivo para você, para as empresas e para a sociedade?
  • Trará melhores resultados futuros?

Em breve, postarei minha opinião. Espero a dos colaboradores também, hein?! 🙂

Abraços,

Fábio A. de Amorim

0
0

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Fabio Luiz Pagoti

    gostei muito dos textos, ambos me fizeram (e continuarão fazendo) eu pensar muito sobre como eu sou profissionalmente falando.

    Agora, tenho certeza que sou dessa geração, porém creio que não integralmente. Identifique-me muito com a questão do feedback instantâneo, com o cuidado em balancear a vida profissional e pessoal (alías, um dos únicos temores que tenho em me aventurar na carreira de redes é exatamente este – deixar um dos dois de lado – lê-se: levar trabalho para casa).
    Porém creio que todo jovem que começa a se aventurar pára por um momento, reflete (um pouco só e bem rápido como o próprio texto diz) e decide ir com calma no seu novo emprego.. se esforçar o máximo para não soltar um “meu” no início de frases, não pedir tanto feedback para não parecer inseguro etc etc.

    Adicionalmente, acho que muitos dos exemplos citados irão melhorar o ambiente de trabalho, afinal, todos numa empresa devem(riam) estar nela porque lutam por algo em comum, e fazê-lo é muito mais fácil quando há um vínculo maior com seus companheiros de trabalho.

    Meu… essa é a opinião de um cara.

    Abraço a todos os outros aqui do blog!

    Fábio Pagoti

    0

    0
  2. Rodrigo Falcão

    Estava lendo os textos e a cada parágrafo, viu um retrato do Rodrigo Falcão profissional.
    Acho que algumas coisas são mais inerentes a juventude em si, do que ao indivíduo como profissional, por exemplo, o jovem é impaciente por natureza, impetuoso, gosta de desafios, e precisa de alguém para falar: “isso tá muito bom, parabéns” (nesse aspecto, qualquer pessoa gosta de um elogio), ou “vc precisa de ajuda?”.

    Abrçs!!

    0

    0
  3. Toguko

    Tambem me identifiquei muito com o relato da geração Y, nunca tinha escutado falar neste jargão…gostei

    Abraços

    0

    0
  4. Meu…simplesmente espetacular!!!

    Eu nunca tomei conhecimento sobre geração net, antes de ler os textos aqui no blog. Obriagdo Fábio por compartilhar 😉

    Agora eu me identifiquei totalmente com um trecho do 1º texto: “…ele não é orientado por fins; ele é orientado por meios – ele quer ter desafios agora, ter reconhecimento agora, viver bem agora.”. Para mim é isso mesmo.

    []’s
    Érik

    0

    0
  5. ricalves2810

    Acho que me encaixo quase integralmente a esta geração.

    Acho também que algumas empresas, ainda não estão preparadas para trabalhar com estes profissionais.

    Abraços.

    0

    0

Deixe uma resposta