«

»

ago 19 2008

7 erros frequentes ao se elaborar um CV

Já publiquei algumas dicas para CVs antes, e sempre que encontro algo interessante sobre o assunto, volto a tocar no assunto. Afinal, quantos aqui não estão à procura de um bom emprego? Estas dicas foram tiradas do INFO Online, e publicadas aqui, na íntegra.

Atenção especial ao erro número 4, citado abaixo…!

Espero que seja útil para alguns!

Deborah Trevizan – Edição de março da INFO

Quarta-feira, 06 de agosto de 2008 – 14h05

Um currículo bem-feito não garante a sua vaga, mas pelo menos não elimina você da lista de candidatos na primeira etapa da seleção. Por isso, cuidado para não errar. Basta um pequeno deslize e as suas chances de passar para a fase da entrevista evaporam. Você tem pouquíssimos segundos para capturar (ou perder) a atenção. Mas o que as empresas de tecnologia levam em conta num currículo?

Para entrar no Google, a ordem é especificar e detalhar as ferramentas utilizadas, pontuar os projetos de atuação e o nível de envolvimento. “As pessoas costumam colocar de maneira geral o que é específico”, diz Deli Matsuo, diretor de recursos humanos para a América Latina do Google. Como a empresa utiliza banco de dados para buscar possíveis candidatos, as tecnologias se tornam decisivas. Se o Google procurar um profissional com conhecimento em Java, por exemplo, somente os candidatos que usaram essa palavra no currículo serão listados no resultado da busca.

Mas não confunda informações específicas com desnecessárias. O curso básico de Microsoft Office ou a visita a uma empresa de tecnologia devem ser deletados. Informações como RG e CPF, também podem sair de cena, a menos que sejam pedidos no processo de seleção.

Com o objetivo de evitar descuidos como esse, há quem pense em currículos personalizados. “O ideal é ter dois currículos, um sucinto e específico para vagas mais definidas e outro mais genérico e maior para enviar às empresas em geral”, diz Marcelo Braga, da consultoria em Recursos Humanos Search. Ele cita também a informação sobre a fluência em língua estrangeira como uma zona de perigo. Mentir no currículo é muito ruim para o profissional, mas nesse caso é ainda pior, pois numa primeira entrevista a mentira será descoberta. “O melhor é ser sincero e poupar o tempo do candidato e do selecionador”, diz.

Assim como as mentiras, a pretensão salarial também está vetada. Nem pense em incluir no currículo o quanto quer ganhar. “Essa área requer profissionais com a capacidade de visão de negócio, cuja remuneração está alinhada à demanda do projeto”, afirma Fátima Domingues, consultora de recrutamento e seleção da Manager. Além disso, cuidado com o e-mail que vai deixar para contato. Procure deixar um endereço que você acessa com freqüência e que não mudará no longo prazo. Pense que seu currículo pode ser selecionado depois de meses (ou até anos) e se a empresa não conseguir contatá-lo você perderá a chance de concorrer à vaga. E, acredite, isso acontece até no Google.

Antes de começar a produzir o seu currículo, esteja certo do seu objetivo profissional. “Faça uma avaliação prévia do papel que pretende desempenhar na empresa”, diz Irene Azevedo, sócia associada da Kienbaum — Keseberg & Partner. E quando souber seja muito claro ao descrevê-lo no currículo. A clareza das informações também é importante ao detalhar o que fez em empregos anteriores. Tente ser objetivo sem usar um vocabulário muito técnico. Lembre-se de que o primeiro contato, na sua maioria, é com alguém do RH e não da área técnica. “O profissional deve chamar a atenção do avaliador e despertar interesse para uma entrevista técnica”, diz Fátima Domingues, da Manager.

O que escrever no currículo?

Numa seleção, os gestores querem saber o quanto o candidato se envolveu, as decisões que tomou e os projetos que executou em carreiras anteriores. Mas como colocar isso num currículo? Marcos Haniu, consultor da Authent, empresa de recrutamento executivo dá as dicas:

• Escreva sobre os projetos que implementou. Se não começou do zero, detalhe as atualizações e as manutenções que foram feitas, citando a tecnologia utilizada, como banco de dados e linguagem de programação;

• Quando mencionar os projetos, informe quem foram os parceiros envolvidos, qual foi o orçamento e em quanto tempo ocorreu a implementação,

• Cite o quanto a empresa ganhou financeiramente e quantas pessoas estavam sob sua liderança (se houver).

• Informações sobre as dificuldades encontradas e as respectivas soluções também são bem-vindas.

O que não fazer

Extermine sete grandes erros do seu currículo

1. Evite e-mails ou telefones que mudam com freqüência
Já pensou você perder uma vaga de emprego no Google porque o seu e-mail e o seu número de celular foram mudados? Saiba que isso já aconteceu, segundo Deli Matsuo, diretor de recursos humanos para a América Latina do Google.

2. Presença do número de documentos
RG e CPF não são informações que interessam à empresa antes da sua contratação, poupe o tempo da empresa de recrutamento e delete esses dados.

3. Falta de clareza ao descrever os objetivos
Seja direto ao descrever seus objetivos. Diga, por exemplo, que pretende uma vaga como gerente de projetos de TI ou como consultor de sistemas de gestão e aplicativos SAP

4. Pretensão salarial
Nunca inclua a sua pretensão salarial. Isso pode te atrapalhar numa possível negociação para a vaga

5. Cuidado com o tecniquês
Tenha sempre em mente que antes de chegar a uma pessoa mais técnica, seu currículo pode passar por um profissional de RH que não entende a língua dos bits e bytes. Não deixe de mencionar as linguagens e tecnologias que domina, mas, além disso, procure fazer um breve perfil, dizendo quanto tempo tem de carreira e que tipo de projetos participou.

6. Venda-se bem
Não economize nas informações que contam ponto para você. Se participou de algum projeto importante, além de citá-lo, diga o quanto a empresa ganhou com ele, conte quantas pessoas estavam sob seu comando

7. Informações falsas
Nunca minta. Se não sabe inglês, não adianta dizer que tem nível técnico ou intermediário em conversação. Lembre-se que você terá de provar os conhecimentos que diz ter.



Comente usando o Facebook!
0
0

16 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Mizael Andrade Reis

    Altas dicas, para fazer altos curriculos.

    vlw, Marco

    Mizael

    0

    0
  2. gchagas

    Grande Marco,

    Desculpe, mas MINHA opinião é que o blog ta perdendo a identidade.
    Ele foi de CCNA para CCXX e agora parece que está indo de CCXX para
    XXXX hehe. CV no blog? Sei la, existem ótimos sites que cobrem esse
    assunto, vide efetividade.net e afins.

    Parabêns a você e a todos os colaboradores, o blog é maravilhoso,
    só cuidado para não perder o foco 😉

    Deixar claro também, que é uma opinião MINHA, não precisam jogar pedras hehe

    Beijos a todos.

    Gustavo.

    0

    0
  3. Marco Filippetti

    Gustavo, você está coberto de razão, e sua opinião é muito pertinente (assim como a de todos!)!

    Na verdade, se você observar o histórico de posts, sempre publico, de tempos em tempos, dicas de mercado, mesmo que não diretamente relacionadas ao assunto tema do blog: Certificações Cisco. Sei que são muitos os que estão à procura de novas oportunidades, ou mesmo de uma oportunidade para ingressar no mercado. A idéia era centralizar este tipo de informação no blog.

    Mas como eu disse, sua opinião é de extrema valia. Gostaria de saber dos outros leitores se este tipo de post deveria ser deixado de lado, em prol de posts 100% focados em Certs Cisco.

    Um abração e obrigado pelo feedback 😉

    Marco.

    0

    0
  4. Luiz Fernando Rosa

    Fala Marco,

    Sou novo no blog, mas posso dar minha impressão, já que é para opinar… hehehe
    Bom, não vejo problema neste tipo de informação, desde que seja neste molde, esporadicamente… até gosto deste tipo de informação, já que ainda não trabalho efetivamente na área de Redes (por enquanto, se Deus quiser).

    Bom, é isso… 😉

    PS: Marco, acho que o livro chega hoje… se chegar deixo minhas primeiras impressões… 🙂
    Abração!

    0

    0
  5. Minu

    Não vejo problemas também em sair um pouco do foco cert. Cisco, e dar um auxilio para quem busca oportunidades. As dicas apresentadas aqui me ajudaram e tem me ajudado em muitas coisas, não só no mundo Cisco, como no mundo profissional.
    Eis minha opinião.

    0

    0
  6. Fabio A de Amorim

    Muito bom este post Marco.

    Acho positivo todo e qualquer post “off-topic” que possa ajudar profissionalmente os leitores do blog. Afinal, certificações e currículos estão intrinsicamente relacionados a carreira profissional do leitor. Já repliquei aqui, e acho interessante fazê-lo, matérias como essa, que possam ajudar os leitores.

    Contudo, como disse o Marco, feedbacks são sempre muito importantes e bem-vindos! 😉

    Abraços,
    Fábio A. de Amorim

    0

    0
  7. Plinio Monteiro

    Parece que o Marco estava adivinhando… Hoje de manhã comentei no chat do blog sobre a pretensão salarial que, na maioria das vezes, é pedida aos candidatos.

    Valeu Marco.

    Abraços,
    Plínio M. Brandão

    0

    0
  8. Rodrigo Falcão

    Não vejo problema em termos esse tipo de post no blog, já que o intuito é ajudar na inserção no mercado de trabalho e na busca de novas oportunidades. Mas manter o foco é muito importante e uma coisa que notei, não sei se tem a ver, é que ficamos um bom tempo sem os famosos Desafios. Mas acredito que isso tenha sido devido a Tese de Mestrado que o Marco estava para defender.

    Abrçs!!

    0

    0
  9. Marco Filippetti

    Rodrigo, vc se refere aos desafios da semana, ou aos “Mega-desafios”? Se for o 1o, seguimos tendo, toda semana. Os mega-desafios, entretanto, requerem MUITA imaginação e tempo para elabora-los. Neste ponto, sugestões são muito bem-vindas. Abs!!

    0

    0
  10. Rodrigo Falcão

    Eu me referi sim Marco, aos “Mega Desafios”.E realmente imagino que exijam muita imaginação e tempo, uma vez que os dois que tivemos até então foram realmente mirabolantes, principalmente o segundo.

    Mas o que não falta no Blog são informações e coisas novas a serem pesquisadas e estudadas. Tenho certeza que valerá cada minuto de espera pelo próximo Mega-Desafio.

    Abs!!

    0

    0
  11. Fabio Silva

    srs,

    Belo post…..mas aonde esta as informações sobre certificações??

    Abs,

    0

    0
  12. Marco Filippetti

    Pois é Fabio, este exemplo de CV é mais genérico. Não tem as certs. Mas a dica 5 cobre um pouco esta parte 😉

    0

    0
  13. rpgabriel

    Post muito bacana, Marco! Tão legal que até minha esposa (que nem é da área de TI) conseguiu achar algo que acrescentou para ela aqui no blog também!

    Boa sorte a todos que querem um trampo novo!

    Abraços!
    Rony

    0

    0
  14. Rodrigo Colen (BH)

    Marco,

    Tenho uma duvida, e quando dizem que só serão analisados curriculos com pretenção salarial? o que devemos fazer? Colocar ou não colocar e estar sujeito a ter o curriculo descartado?

    att
    Rodrigo Colen

    0

    0
  15. iudemar

    POw cara vlw mesmo, otimas dicas essas, ainda mais pra mim que estou tentando buscar minha vaga nesse grande mercado de TI. Otimas dicas mesmo vlw

    0

    0
  16. MARILU PERETTI

    Como elaborar o minicurrículo matéria interessante por Márcio Miranda da TOWSEND, confiram.
    Fonte: DCI – SP – Carreiras & Gestão – 22/02/2006

    Márcio Miranda

    Para elaborar o currículo de forma eficiente, o candidato deve fazer um resumo da experiência profissional, procurando destacar os pontos mais fortes de sua atuação, os resultados alcançados, os projetos desenvolvidos em no máximo duas páginas.

    Se o candidato utilizar na descrição palavras específicas de sua área de atuação, a busca do currículo pelas empresas vai ficar mais fácil. Tomemos como exemplo para a área de Marketing.

    Pense em palavras-chave para títulos de profissão (gerente de marketing), funções e responsabilidades (pesquisa de mercado, desenvolvimento de novos produtos, análise de custos, relatório de variáveis), terminologia específica da área (target, aquisição) e formação (pós-graduado em comportamento do consumidor, especialista em aspectos tributários, em finanças empresariais).

    O currículo deve conter uma síntese de sua experiência profissional e dos seus pontos fortes para chamar a atenção do empregador. Assim como um bom currículo, uma carta de apresentação expressiva conta pontos preciosos na hora de conquistar o selecionador.

    Cuidado para não confundi-la com um resumo do currículo; a carta de apresentação é, na realidade, um chamariz para que o recrutador se interesse por sua oferta de trabalho.

    Ela deve conter uma síntese das principais realizações profissionais, uma explicação objetiva sobre as pretensões a determinado cargo e uma argumentação final otimista, gerando assim possibilidade de resposta, você também pode sugerir uma entrevista para detalhar suas qualificações ou um telefonema para ter uma resposta.

    Veja também algumas dicas sobre o que não se deve fazer na elaboração da carta: Não use “eu” em demasia. A carta deve servir para expor suas qualificações em relação à vaga, e não ser uma autobiografia; não seja vago. Sua carta pode ser apenas uma entre centenas que o recrutador esteja lendo, possivelmente para diferentes cargos.

    Portanto, seja claro e objetivo em relação à vaga pretendida; Não esqueça de assiná-la, pois esse detalhe faz parte da etiqueta empresarial. Já no caso de envio por e-mail, a assinatura não é necessária. Não termine a carta de forma passiva. Ao invés de solicitar ao recrutador um retorno, seja pró-ativo e diga que você irá telefonar em alguns dias para responder a qualquer dúvida, por exemplo.

    Personalização. Esta é a palavra de ordem quando se fala de currículos. Na Internet ou no papel, é possível imprimir o seu estilo pessoal ao documento, sabendo destacar seus pontos fortes, palavras-chave que saltam aos olhos do selecionador e destacando seu real interesse em fazer parte de determinada empresa.

    As vantagens de ter um currículo na Internet hoje são muitas: maior visibilidade do profissional no mercado, possibilidade de se candidatar a diversas vagas sem sair de casa, facilidade para atualizar e melhorar os dados do currículo, além do fato de não “perder” tempo enviando várias cartas pelo correio — isso sem falar que, para muitas empresas e consultorias, receber currículos via correio já é passado.

    O mercado de trabalho está sendo cada vez mais conquistado pela modernidade e as formas de seleção, se adaptando rapidamente a essa nova realidade.

    Algumas dicas básicas para confecção de seu curriculum: Antes de tudo, reserve tempo para preparar o currículo — não pense que para ficar bom ele pode ser feito em alguns minutos; Tenha em mãos todos os dados necessários, como datas de início e saída de empregos anteriores, informações acadêmicas, cursos e eventos em que participou — isso torna a organização de idéia mais fácil e auxilia a sua memória; Tenha em mente qual é seu objetivo com esse currículo – atirar para todos os lados não dá resultado nenhum, portanto direcione as informações para a área e o tipo de empresa em que você pretende trabalhar; Procure escrever numa linguagem clara.

    Revise várias vezes para evitar erros de português – isso mostra domínio da comunicação e habilidade de escrita; Evite o uso de linguagem ou termos muito formais — o excesso pode ofuscar detalhes importantes; Procure dar destaque somente a dados pessoais e profissionais importantes e de relevância para o cargo que está pretendendo — isso mostra sua capacidade de discernimento; Pesquise o mercado de trabalho na área em que pretende atuar para se atualizar sobre salários, exigências e novidades.

    Assim você poderá se preparar para oferecer sempre em seu currículo a resposta aos requisitos solicitados pelos empregadores.
    O autor é presidente da Towsend Consultoria em Recursos Humanos

    0

    0

Deixe uma resposta