«

»

ago 29 2008

Comcast oficializa traffic shaping

traffic-shaping-p2p.gif Outro dia falávamos sobre a prática de TS no Fórum. Eis que hoje me deparei com a notícia abaixo… boa leitura!

Marco.

Fonte: http://info.abril.com.br/aberto/infonews/082008/29082008-2.shl

Sexta-feira, 29 de agosto de 2008 – 09h18

NOVA YORK – Operadora americana diz com todas as letras que limitará a troca de arquivos P2P.

A Comcast informou que estabelecerá oficialmente um limite de dados que os seus clientes poderão compartilhar na internet mensalmente.

No dia primeiro de outubro, a empresa de cabo restringirá a quantidade de informações movimentada pelos seus usuários em 250 gigabytes por mês, segundo o site da companhia.

“Fizemos uma pesquisa com nossos usuários e eles nos pediram para determinar o máximo de uso de banda permitido, que os ajudará a entender o que seria um uso exagerado”, declara a Comcast.

A companhia já se reservou o direito de bloquear o acesso à rede no caso de clientes que usarem mais banda do que o tolerado.

Aqueles que ultrapassarem o limite pela primeira vez serão alertados pela Comcast, que pedirá a redução da quantidade de informações trafegada.

“Na maioria das vezes, quando pedimos que os clientes moderem o uso da rede, costumamos ser atendidos”, afirma a empresa.

Segundo a Comcast, gerenciar a forma como os clientes usam a internet é necessário para garantir uma conexão constante e veloz para todos os usuários.

0
0

11 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Fabio A de Amorim

    Altamente apoiado!

    Acharia ótimo se fizessem isso no Brasil também. Não creio que seja um tipo de censura. Acho que é uma forma de conter exageros, que muitos cometem.

    Não uso e não gosto de P2Ps.

    Abraços!
    Fábio A. de Amorim

    0

    0
  2. fredx

    250 Gigabytes é mais do que necessário para um heavy user. Aqui no Brasil antes de restringirem algo, primeiro que coloquem serviço de nível decente a disposição, pois é um lixo na maioria das vezes, de ADSL até a TV cabo, eu tenho conexão de 1 MB e tem horas que me pergunto se é 1 MB por hora, mas incrivelmente a conta nunca atrasou, chega direitinho, nissso não tem “delay”.

    0

    0
  3. Diogo Mendes

    Bom, atualmente não utilizo as redes P2P com frequencia, porém acredito que ao contratar um serviço de banda larga, tenho o direito de utilizá-la como bem entender. Na minha opinião, se alguém usa a totalidade da velocidade do link não está atrapalhando os outros, apenas usufruindo do seu direito. A alegação de atrapalhar os outros usuários na minha opinião não é válida. As operadoras que necessitam expandir sua infra-estrutura afim de suportar os clientes. O problema é que a idéia obviamente é do lucro máximo pelo investimento mínimo, fazendo com que os usuários percam ao invés das operadoras.

    Acho que as redes P2P não deveriam ser marginalizadas. Creio ser um meio legitimo de troca de informações. O fato de existirem conteúdos ilegais não faz com que a tecnologia esteja errada.

    Abraços.

    0

    0
  4. Pedro

    Infelizmente uma situação difícil. Quem usa P2P, vai ser contra. Quem não usa vai ser a favor. Normalmente é assim, cada um só olha seu pé. Como para as empresas de Telecom é melhor restringir, por motivos óbvios como os já citados, é uma briga mei que perdida.

    Eu uso P2P às vezes e sou contra a restrição pois seria como um controle de privacidade. E outro detalhe, se limitassem a banda para todos, acho que as velocidades iriam acabar estacionando pois não teraim mais motivação de aumentar com o controle sobre o tráfego de todos.

    Acho q o mínimo que poderíamos cobrar seria a opção de ter um tipo de contrato no qual se pagaria mais para não ter limites de acesso à internet.

    Abrçs,
    Dalston.

    0

    0
  5. Marcos Pitanga

    Então, que as operadoras coloquem estas restrições no contrato de venda da solução.

    0

    0
  6. Diogo Mendes

    Não sou contra soh porque uso… conforme disse anteriormente, hoje em dia raramente utilizo, porém acho que seria correto ampliar o backbone ao invés de “podar” o acesso.

    0

    0
  7. Marcos Pitanga

    Ampliar backbone requer um aumento de custo, creio que, o contrato entre o provedor e o cliente deve-se existir cláusulas que tratem do assunto. E que, preferencialmente não seja em letras minúsculas.

    0

    0
  8. hgj

    bom pra começar o que é P2P? pirata pra pirata acho né ahha. Exigir meu direito de trafego pesado de dados ilegais é bem interessante concordam?
    Apesar de ser usuario de P2P, não vejo como hoje em dia eu uso meu adsl baixando sem limites meus filmes/jogos pagando menos de 100 conto por mes.
    Mas isso tem um preço, pelo menos no meu contrato, não existe qualquer garantia de velocidade do serviço, o que ao meu ver, já é uma clausula abusiva.
    Se quem usa a internet “legalmente” reclamasse mais, com certeza os camelôs iam vender muito mais dvds e quem curte seu joguinho online e acessar suas páginas ficariam felizes da vida.

    0

    0
  9. alamon71

    Concordo com a questão das clausulas de contrato, mas o preço do serviço deve baixar se as clausulas imporem limites de uso.

    0

    0
  10. Rafael Eduardo Kassner

    Eu acho extremamente válido esse anúncio da Comcast. Se aplicado no Brasil, como se já não fosse, mas de maneira legal (aplicar a regra ao contrato, como o Marcos Pitanga citou), seria muito menos passível de reclamações.

    A questão é: que tipo de conteúdo é trafegado por P2P que não viole direitos autorais? É realmente difícil considerar que as pessoas baixem uma ISO do Ubuntu por torrent quando temos centenas de mirrors (inclusive em Curitiba)? Agora uma cópia pirata do Windows Vista muito provavelmente veio do torrent, salvo casos de DVD’s emprestados e centenas de partes no Rapidshare.

    “[…] A alegação de atrapalhar os outros usuários na minha opinião não é válida.[…]”

    Diogo, a partir do momento que as empresas começaram a vender mais do que suportam eles alegam isso, mesmo que você tenha, por contrato, 1Mbps, você, na verdade, está disputando um link de 64Mbps com cerca de 400 pessoas (minha realidade). Aí quando todos estão conectados à internet (finais de semana), se alguém faz um download via torrent todo o bairro sente.

    P2P + Telecom = problemas. No Brasil é assim. Com tantas práticas hoje em dia, chegamos a um ponto onde alugamos servidores no exterior, que baixam via P2P, e de lá baixamos por HTTP. Tudo para furar o bloqueio IMPOSTO pelas Telecom.

    Quem dera a Brasil Telecom seguisse o exemplo da Comcast!

    0

    0
  11. bossi

    Prezados Colegas

    Gostaria de comentar que independente do tipo de aplicacao que o usuario esteja usando na REDE, ele tem sim, o direito de receber o produto pelo qual ele pagou!!!

    Nao vou nem entrar no merito da legalidade do P2P!!!!!

    Observei que alguns colegas acreditam que a pratica adotada pela Comcast em relacao aos contratos eh valida…..mas me pergunto….pq ela teve essa iniciativa? apos uma pequena pesquiza, me deparei com
    este artigo que esclarece bem os motivos…….
    http://www.edonkers.org/forum/viewtopic.php?p=324068

    Considero que a falta de regulamentacao, eh o principal culpado pelas discucoes contratuais que geralmente nao levam a lugar nenhum…

    Em alguns paises ha uma distincao entre o usuario LEVE e o PESADO, justamente para atender a todas as demandas, sem prejudicar ninguem!!!!

    Na minha opiniao as TELES querem deixar os coisas como estao, porque? Desordem da MUITO LUCRO!!!!

    BoSSi

    0

    0

Deixe uma resposta