«

»

out 10 2008

Como a crise financeira afeta a demanda por profissionais de T.I.?

O Leandro Lima criou uma discussão no fórum bastante interessante, e achei que deveria ser tratada aqui, na 1a página do blog, em forma de um post. Assim podemos ter uma idéia de como cada um encara esta crise no que diz respeito às suas ramificações para o mercado de tecnologia. Será que o Brasil está mesmo “blindado” contra esta crise, como dizem alguns? É… ao que parece, assim como o resto do mundo, claramente não está.

Eu acredito que esta crise global vai impactar a demanda por profissionais de tecnologia, e este impacto poderá ser sentido em breve. Como eu mencionei, muitos (incluindo nosso Presidente) dizem que esta crise passará longe do Brasil, mas já percebemos que isso não é verdade. Gigantes da indústria brasileira, como a Aracruz (papel e celulose) e a Sadia já apresentaram balanços com prejuízos bilionários, causados pela repentina alta do dólar. O desaquecimento econômico global faz com que algumas grandes empresas brasileiras (como a Vale e a Petrobras) exportem menos e, como consequência, gerem menos receitas e tenham seu lucro reduzido.

Por outro lado, para complicar as coisas, o crédito está mais limitado, o que também influencia o crescimento da indústria e do mercado. Bancos tendem a ser mais seletivos na hora de emprestar dinheiro, e isso também contribui para uma desaceleração econômica. A matemática é relativamente simples: Menos dinheiro disponível = menos consumo. Menos consumo = menor produção. Menor produção = menor crescimento econômico. Com menos crédito disponível, há menos investimentos e menos consumo e, como consequência, as empresas tendem a focar em seu “core business” que, na maioria das vezes, não inclui a parte de tecnologia.

Ou seja, esta crise é global e, apesar de não estamos no centro dela, ela nos afeta, sim.

Assim sendo, eu diria que esta crise terá impacto na área de TI, uma vez que eu imagino que a demanda por produtos e serviços de TI tende a diminuir. Em isso se confirmando, a procura por profissionais de tecnologia tende a desaquecer.

Portanto, não subestimem esta crise. Ela afeta a todos nós.

Minha opinião, claro. Não sou economista, mas também não sou cego 😉

NOTA: A BOVESPA, após cair 4% ontem (e 44% no ano), mal abriu e já cai mais de 9% hoje.

Um abraço!

Marco.

0
0

20 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Marcelo Nunes

    Vamos torcer para isso passar logo, além de termos que prestar atenção no mercado TI, devemos olhar a situação dos bancos aqui no brasil, quem tiver muita grana aplicada deve ficar atento nas emendas que o governo e o banco central possam vim lançar!!!

    Abs
    Marcelo Nunes

    0

    0
  2. Gedra

    Back to 29? :p

    0

    0
  3. Leandro Lima

    E Enquanto a crise não passa, vamos buscar manternos atualizados com as atuais demandas de tecnologias, para que, em um futuro próximo ,quando a crise passar, estarmos aptos para as futuras demandas trazendo o novo BOOOM!!
    um grande abraços a todos

    Leandro Lima

    0

    0
  4. Marco Filippetti

    ehehe Bruno, ao que parece, já estamos lá! A coisa tá preta!!!

    0

    0
  5. Marcelo Nunes

    Quem tem ações das grandes empresas também deve estar apavorado…

    0

    0
  6. Daniel Rodrigues

    Acho que estamos um poko longe da crise de 29. Mas se isso acontecer, pode apostar, que ai sim a coisa vai ficar feia.

    Ja que o amigo, comentou sobre as açoes, segue a dica para quem quiser arriscar: Agora é a hora de comprar papeis..paga barato..espera td normalizar..e depois vende!
    MAs como o MArco disse, nao sou economista tb …prefiro nao arriscar..rs

    []s

    0

    0
  7. Richard

    Acredito em uma leve recessão do crescimento econômico do Brasil.
    O que me faz crer que hoje estamos mais independentes com relação há 10 anos atrás, é pela divida externa e os produtos de exportação. Se tivéssemos uma divida externa no valor que tínhamos antes, hoje estaríamos quebrando com essa supervalorização do dólar.

    O maior impacto é sentido nas multinacionais, que possuem movimentação financeira externa.

    Agora falar em crise de 29 acho exagero, o Brasil hoje tem uma economia sólida, não é mais como antes um mero exportador, mesmo que se sinta a crise não terá impactos tão fortes, a ponto de declarar falência.

    O pior ainda está por vir, é no setor energético e até nisso o Brasil vem se preparando com o alcool e o biodiesel, coisa que muito país não tem, e vai penar.

    É só mais um período de turbulência eu penso. logo vai passar e vou poder pagar minhas certificações a um preço justo +D.

    0

    0
  8. Fernando Avelino

    Realmente é um problema sério e preocupante, temos que ficar de olho e acompanhar as mudanças no mercado.

    0

    0
  9. jair.rocha

    No meu ponto de vista pode-se sim comparar com a Crise de 29 . Mas a grande diferença: -É que Hoje existe GLOBALIZAÇÃO e neste sentido os Chefes de Grandes Nações estão colocando-a ainda meio que devagar em prática Hoje se reunem para uma solução que não seja egoista pensando só em sì , aprendemos muito com a Crise de 29 e com certeza este erro não se repetira . Qem diria que o E.U.A , iria pagar dividas de seus endividados Ou seja mesmo em assumir estão “Estatitizando “

    0

    0
  10. David Alvarenga

    Eu tb nao sou economista, mas como o marco flw… n somos cegos huahuahaua…
    mas tipo, eu acho , somos afetados sim, porem nossa economia é mais forte do q ha tempos atras.. e issu ajuda ‘defender’ um pouco…. tipo, se essa crise com mais de trilhoes fosse na epoca em q se deu a crise dos tigres asiaticos ( 97 e 98) ai sim sentiriamos muito…… mas felizmente o brasil conseguiu crescer e se solidificar, mas nao eh imune a tudo……..sobre nos….. meros profissionais o q nos resta e nos qualificar… e torcer para q essa crise saia do cenario mundial! … abs a todos!

    0

    0
  11. paulera

    E isso ai pessoal, a crise financeira é mundial afeta todos os setores.
    As grandes empresas do vale do silício de capital aberto já tomaram grandes prejuízos e no japão já tivemos hoje falência de empresas, lá esta é a maior baixa dos últimos 21 anos.
    Com o aumento do dolar já consigo ver os efeitos da crise aqui no Brasil, aqui em Fortaleza as empresas de infomática (que vendem periféricos) já ajustaram suas tabelas com aumento de 10 a 15% desde a última quarta feira.

    0

    0
  12. Fernando Avelino

    É a recessão cada vez mais próxima!

    0

    0
  13. Anderson Rodrigues

    Nossa Marco, você falou tudo cara.
    Sem contar que vamos sofrer tb com o preço das certificações né… e agora que CCNA é US$250 … deprimente.
    Esperamos que essa crise se estabilize logo.

    Abraços,
    Anderson

    0

    0
  14. kwilliams

    Pois é, agora que eu estava quase decidindo marcar a prova !
    O jeito é esperar a tempestade passar !

    0

    0
  15. Pedro

    Bom, não tem nada a ver com a crise mas,…… Passei na prova (CCNA 640.802) última quinta-feira e gostaria de agradecer a todos q contribuem com o site pois encontrei muitas infomrações valiosas aqui. Obrigad.

    E continuem postando, agora parto para o CCNA Security (ou Voice pois este já tem curso da CBT Nuggets, hehehe)

    0

    0
  16. rpgabriel

    Particularmente, sinto a economia como um caminhão de melancias numa ladeira e sem freios…

    Deus nos proteja.
    Abraços!
    Rony

    0

    0
  17. guilhermehgalves

    Salve-se quem puder…

    0

    0
  18. Lima

    Agora é hora de investir para quem tem coração forte !!!

    Em relação a crise, já passamos por coisa pior.

    0

    0
  19. Marcelo

    Falando nisso, postagem da CertMag (certification Magazine) sobre o assunto, muito bom, deêm uma olhada: http://www.certmag.com/read.php?in=3610

    0

    0
  20. Alexandre Lima

    Pois é…
    Dolar alto=Certificação mais cara.
    pessoas sem certificação=sem atualização e obsoleta.
    sem atualização e obsoleta=fora do mercado de trabalho!!!

    0

    0

Deixe uma resposta