«

»

dez 09 2008

Video over IP, herói ou vilão?

vioip.JPGDesde que se tornou tecnicamente e financeiramente viável, a transmissão de vídeo sobre o protocolo IP vem sendo adotado largamente por usuários finais e empresas. Novas aplicações e soluções para este tipo de mídia “pipocam” aos montes, praticamente todos os dias. Um exemplo comum seria a incorporação de vídeo em aplicações já bastante conhecidas e disseminadas, como o MSN e o SKYPE. Do lado corporativo, aplicações e soluções de vídeo como o Cisco Telepresence, ainda que distante da realidade de muitas empresas, já começam a serem considerados como alternativa aos tradicionais modelos de vídeo-conferência.

O problema que desponta com o aumento do tráfego de vídeo pelas redes é a demanda crescente por banda que estas aplicações exigem. De acordo com Henry Dewing, analista da Forrester Research, vídeo encontra-se em evidência, e a demanda adicional de tráfego gerada pode sucumbir as infraestruturas de redes locais e WANs. No ranking das aplicações que mais consomem banda, as aplicações P2P vêem seu primeiro lugar ameaçado pela crescente proliferação do tráfego de vídeo nas redes.

De acordo com pesquisas realizadas internamente pela Cisco, o tráfego IP global tende a crescer mais de 6 vezes nos próximos 5 anos. Um crescimento anual na casa dos 46%. Ainda como resultado destas pesquisas, o grande “vilão” responsável pelo aumento projetado é… vídeo! Nada menos que 522 bilhões de gigabytes cruzarão as redes até 2012, segundo a Cisco.

Antevendo o problema, a Cisco anunciou recentemente sua linha de produtos que promete processar tráfego de vídeo de forma mais inteligente, nas redes. Trata-se da plataforma chamada de Media Experience Engine 3000 (ou MXE 3000). O appliance provê conversão de formatos, compressão, edição, produção e distribuição pela rede. O produto é focado no mercado corporativo.

O preço de lista do MXE 3000 é de US$65.000. Foto do apliance, abaixo 😉

data_sheet_c78-507090-1.jpg

Como podemos observar, as aplicações evoluem e caem no gosto do povo. O problema é acomodar a demanda de banda que estas novas aplicações geram. Obviamente as redes evoluem. Aqui mesmo, no blog, recentemente publiquei um post sobre o oferecimento de serviços de banda larga para o usuário final à velocidades de 60MB, pela NET. O problema é que, banda é como memória… quanto mais você tem, mais você precisa 😀 !

Um abs!

Marco.



Comente usando o Facebook!
0
0

7 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Fabio Luiz Pagoti

    522 bilhões de gigabytes!

    Ô,Ô

    a Internet caminhando a passos largos para conseguir a melhor caracteristica da TV atualmente, a qualidade de imagem.
    e concordo, quanto mais memória, mais se precisa dela. O Tanembaum fala isso no seu livro de Sistemas Operacionais.

    abraços!

    0

    0
  2. Giovani

    Preço bem em conta…rsrs

    0

    0
  3. A. Carvalho

    Mto bacana essa área de vídeo sobre IP, uma das que estão em maior crescimento nos últimos tempos e muito interessante para ser estudada.

    Alguém sabe me dizer qual certificação da Cisco é destinada a este fim?

    Abrços!

    0

    0
  4. Marcelo Melo

    US$65.000, baratinho ne.

    0

    0
  5. minicz

    Realmente, preparar as LANs e WANs para essa nova aplicação não é um trabalho trivial.

    Enquanto estivermos pensando em alguns poucos ou dezenas de usuários que exporadicamente usam vídeo, não existe grandes desafios, mas existe uma tendência dos sistemas de CFTV serem digitalizados, no padrão H.264. Imaginem uma instalação com 50 cameras, cada uma com uma taxa de transmissão de 1 Mbps. E se o projeto chegar a, digamos, 200 ou 300 cameras… estamos falando de 30% (ou talvez mais) de ocupação de um backbone de 1 Gbps!!!!

    Vamos projetar melhor as nossas redes!!!

    0

    0
  6. Tiago Frigério

    Boa noite…

    Muito legal esse assunto!!!
    É um bom caminho a ser explorado pois em breve tera muito campo!!

    Abracos,
    Tiago.

    0

    0
  7. Hélder

    Muito interessante essa matéria….estou começando a trabalhar com vídeo conferência e realmente essa área ta crescendo bastante.

    Abraços, Hélder.

    0

    0

Deixe uma resposta