«

»

abr 06 2009

Empregabilidade no setor de tecnologia segue em alta

Eis uma reportagem interessante sobre o “descolamento” da oferta de vagas pelo setor de TI e a crise. Ao que parece, a crise tem afetado muito pouco a demanda por profissionais na indústria de tecnologia. Bom, contra as estatísticas não existem argumentos… ou existe? 😉


Abs!



Comente usando o Facebook!
0
0

16 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Fernando Guerreiro

    Mtu legal!!!! Essa entrevista foi feita na minha faculdade a Fatec-SP.

    não sabia que a band tinha ido lá… De toda forma, a reportagem ajuda a mostrar que o mercado de T.I. está aquecido, e continuará assim, mesmo com a crise!!

    0

    0
  2. Ricardo Lima

    Os cursos de Tecnologia de dois anos, ao meu ver, são ótimos para quem já tem algum conhecimento na área.
    O fato do curso ensinar diretamente sobre as tecnologias envolvidas e fazer o aluno aprender como se fosse o dia a dia do trabalho na área, faz com que o mesmo saia preparado para enfrentar os grandes desafios que a mesma promove.

    É claro que para destacar-se, o profissional deve ser muito dedicado e esforçado, pois não é uma área fácil.

    O único problema que encontro hoje é conseguir fazer a Pós Graduação ou MBA que eu desejo.
    As mesmas, nas instituições que procurei, exigem o Ensino Superior de 4 Anos.

    Agora estou na dúvida, invisto em um bacharelado, para fazer a Pós ou MBA que desejo, ou procuro alternativas ou instituições não tão reconhecidas?

    Mas enfim, creio que estamos todos nadando contra a “marolinha” e empurrando essa crise pra longe.

    0

    0
  3. santospimentel

    Meus caros , eu descordo um pouco de vcs …. pois, o que temos hoje é uma quantidade muito grande de empresas contratando profissionais com salários de estagiarios …. no ano passado sim, o mercado estava aquecido , entravamos nos sites de busca de emprego e vinhamos muitas vagas , eu mesmo chegava a receber uma média de 4 propostas por mês …. Já esse ano as coisas mudaram de figura , cada vez mais empresas cancelam projetos devido a crise.

    Bom isso tudo falando de vagas para Network e no Rio de Janeiro, nao sei as outras areas de S.O. , por exemplo, se alguem estiver vendo o mercado aquecido como falam, achava legal postar aqui algumas oportunidades.

    Abraço.

    Adriano Pimentel

    0

    0
  4. Arthur Moreth

    Eu concordo um pouco com o Adriano … ainda mais no que diz respeito a infraestrutura e suporte, estão querendo funcionarios que sabem muito a preço de estagiario, canso de ver propostas de emprego pra analista pedindo MSCE, CCNA, Itil pagando mil , 2mil reais no maximo … é fato que ha uma desvalorização no setor de infra e suporte.
    Agora o setor de desenvolvimento ta regado de vagas mesmo … quem sabe Java esses dias ta feliz da vida … é uma situação de 2 pesos e 2 medidas …

    0

    0
  5. Marco Filippetti

    Adriano / Arthur,

    Convenhamos que isso sempre existiu. Não é um produto da crise, em si.

    Existe inclusive um post sobre o assunto:

    http://blog.ccna.com.br/2008/11/03/carreiras-a-prostituicao-do-mercado-de-ti/

    Abs!

    0

    0
  6. leromao

    Ricardo, desculpe a curiosidade, mas vc fez tecnologo onde? Quais instituições vc procurou que exigem ensino de 4 anos?

    0

    0
  7. Alexandre Canalle

    Bom dia Pessoal!!!

    Então, o que tenho sentido do mercado de TI da região de Curitiba é que o setor de Desenvolvimento continua extremamente aquecido porém exige profissionais já altamente qualificados (5 anos de de experiencia +). Para cargos de entrada, identifico uma retração no mercado, mas ainda permanece aquecido.
    Já para cargos que envolvam telecomunicações ou infra-estrutura, verifico que as ofertas de vagas reduziram ou a remuneração caiu muito do que era, até então, apresentado.
    O mais importante que agora começo a identificar boas oportunidades e provavelmente deve ser fruto do reinício de um aquecimento na economia que, queira Deus e espero eu, fará a crise mais amena até Dezembro.

    Ricardo,
    Peço-lhe que verifique junto as instituições à respeito da proibição pois, como tudo consta, cursos de tecnologias são considerados de ensino superior pelo MEC e não deveriam ter restrições. O que pode ocorrer é a rejeição da matrícula do aluno no caso do não preenchimento de requisitos de conhecimentos mínimos para cursar, mas não o fato de ter cursado um curso curto. Enfim, essa é uma discussão que tem que ser feita e buscada uma resposta junto à orgãos competentes.

    0

    0
  8. L.C.F.N

    Ricardo Lima, eu cursei o ensino superior na modalidade Tecnólogo e estou cursando atualmente uma Pós-Graduação (Especialização / Lato sensu) normalmente. Será que não houve algum equívoco por parte das instituições que te passaram essa informação?

    0

    0
  9. Marco Filippetti

    Ricardo, vc deve ter cursado um sequencial, e não uma graduação tecnológica. Graduação (mesmo que de 2 anos) permite, inclusive, que se faça mestrado ou doutorado. Sequencial, não.

    Dica: Leia o post abaixo.

    http://blog.ccna.com.br/2008/03/16/cursos-superiores-sequencial-x-tecnologico/

    0

    0
  10. Eduardo Simao

    O mercado de programação sempre esteve em alta. Quem SABE Java etc, esta ganhando bem, porém tanto para o setor de telecom e de programação é o seguinte: Quem esta começando…tem que ralar muito, e assim, estudar direto e tentar fazer o network, porque é um setor fechado.

    0

    0
  11. sidcisco

    Concordo com o Pimentel

    Esse ano o mercado de TI (Infra-Estrutura, Telecon e Redes Windows) não está tão aquecido como no ano passado não sei vcs mais eu por exemplo quase não sou chamado para alguma entrevista (comparando com o ano passado nessa mesma epoca) tenho conversado com algums amigos e estão na mesma situação, procuram enviam curricullums mas nada de entrevista ou coisa semelhante acredito que a coisa possa melhor no 2° semestre vamos aguardar.

    0

    0
  12. drfokker

    Sacanagem é filmar a menina usando MSN!!! kkkkk

    0

    0
  13. Ricardo Lima

    Senhores,

    Desculpem a demora no retorno. Graças a telefonica fiquei isolado tecnologicamente, o que felizmente me fez aproveitar a semana de folga.

    Primeiramente procurei pela FGV. Recebi por e-mail um link para o download de um PDF que tem todas as informações do curso. Dentro deste arquivo estava a seguinte informação:

    “Os cursos superiores devem ter sido de duração plena (mais do que quatro anos).”

    Procurei no site da PUC e USP também para ver se havia esta exigência também, e há.

    No site da FIAP, onde cursei Tecnologia em Redes de Computadores consta como:

    – Formação acadêmica em qualquer dos cursos: Ciências da Computação, Análise de Sistemas, Tecnologia em Processamento de Dados, Administração e Engenharia;
    – Desejável ser Pós-Graduado;

    Ainda não entrei em contato com as instituições para validar as informações, mas farei na segunda-feira.

    Quanto a cargos e salários, concordo que o que se paga atualmente não é o ideal, mas ganhar mais só depende do esforço do indivíduo.

    Se houver mais alguma dúvida, estou à disposição.

    0

    0
  14. Marco Filippetti

    Ricardo, estou fazendo MBA na FGV e minha graduação é de 2 anos. Isso tb não me impediu de cursar mestrado.

    0

    0
  15. Digaum

    Olá Marco, qual curso tecnológico você fez, e seu MBA é em que? Estou pensando em fazer o MBA de Gerência de Projetos pela própria FGV e tenho tecnólogo em Redes, com duração de 2 e 1/2 anos. O que exigem para cursar o MBA lá e o que teria a me dizer sobre o foco do MBA? Obrigado!

    0

    0
  16. Marco Filippetti

    Tecnologia em Informática, pela FASP. Exigem seu CV atualizado e cópia dos diplomas + histórico escolar.

    O MBA que comecei é o executivo em Marketing.

    Abs!

    0

    0

Deixe uma resposta