«

»

maio 04 2009

O impacto das redes sociais em nossas vidas (pessoais e profissionais)

Pessoal, apesar de este não ser exatamente um “tet-a-tet”, optei por classificar este post nesta categoria, por se tratar de algo parecido… 😉 ! Eu sinto que vocês vão gostar deste post, e que muitos vão se identificar com partes dele. Recentemente, conheci o Octavio Pitaluga, um profissional fantástico, profundamente envolvido com redes sociais e que conhece melhor do que ninguém o poder do networking na vida de um profissional. Tanto isso é verdade que ele criou o termo “Chief Networking Officer – CNO“, ou se traduzirmos, algo como um “Diretor de Relacionamentos”.

O Octávio, hoje, é o CNO para a entidade que ele mesmo criou, conhecida como TEN – Top Executives Net – uma rede que age com um catalizador de negócios na América Latina e no mundo.

Bom, e o que tudo isso tem a ver com ESTA comunidade, em especial? Eu gostaria que vocês pensassem um pouco “fora da caixa”,  de tempos em tempos. Quero dizer com isso, que gostaria de plantar uma semente para abrir a cabeça de vocês. Hoje, a grande maioria de vocês encontra-se fascinada por bits e bytes, por zeros e uns, por show isto, show aquilo, etc. Por que não, desde já, começar também a ver um pouco como é o outro lado da moeda? O que é ser um executivo, um gerente, um gestor? Já pensaram nisso? Como será a vida depois das linhas de comando…? rsrsrs

Bom, para começarmos, sempre é bom falarmos um pouco sobre relacionamento. Para ascender profissionalmente, dependemos de nós mesmos, e de quem nós conhecemos. Faz parte da natureza humana. Para apresentar alguns dados estatísticos, segundo a Info Exame, o networking responde por 64% das contratações em T.I.! SESSENTA E QUATRO POR CENTO! Guardem este número.

Convido-os a conhecer um pouco mais sobre Networking assistindo à uma apresentação do mestre no assunto, o criador do termo CNO, Octavio Pitaluga Neto.

Bom proveito!!!

sociais.jpg



Comente usando o Facebook!
0
0

5 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. A. Carvalho

    Não conhecia o termo citado no artigo.

    Realmente ter/manter um bom networking hoje é imprescindível, não somente em nossa área, mas qualquer profissional que se preze precisa disso nos dias atuais.

    Irei ver a apresentação mais tarde, vlw pela dica Marco.

    Abraços!

    0

    0
  2. Minu

    É Marco, interessante, mas convenhamos.. Um cara que é plenamente ligado nos 0s e 1s encontra certa dificuldade em enxergar como um gestor.

    0

    0
  3. Marco Filippetti

    rsrsrs, verdade Minu! Mas é exatamente este o motivo deste post (e de alguns outros que já escrevi aqui)… tentar abrir um pouco a cabeça de vocês. A grande maioria de vocês é jovem, começando suas carreiras, e é normal esta afinidade com a parte mais técnica. Alguns de vocês vão seguir nesta linha para o resto de vossas vidas profissionais. Outros, não. Partir para algo mais gerencial não é apenas uma questão de formação ou de perfil. É algo que parte de dentro de cada um. Você tem o poder de direcionar sua carreira para onde quiser. E, cedo ou tarde, alguns de vocês vão perceber que – ao menos no Brasil – pouquíssimos são os que conseguem ganhar um excelente salário atuando como técnicos. E é nessa hora que muitos resolvem virar o guidão e partir para outro foco. Seja algo mais gerencial, seja mesmo em outra profissão.

    Portanto, o importante é manter as portas abertas. Não as fechem. Não “torçam o nariz” para o networking, e não virem as costas para oportunidades de carreira, mesmo que isso signifique tornar-se um chefe ou um gestor, mais adiante.

    Vocês ainda são novos, como eu disse. Mas daqui a 10 anos – se ainda estivermos aqui, claro – as necessidades, interesses e ambições podem mudar! E, por que não, preparar-se desde já?

    Abração!

    Marco.

    0

    0
  4. Felippe Magnago

    Marcus,

    existe uma matéria interessante da revista Você S/A no qual tem o título ” EU NÃO QUERO SER CHEFE”, neste tema eles procuram abordar casos de pessoas que eram especialistas e recusaram de assumir cargos de gestores mostrando qual foi o impacto na vida deles e também qual foi a reaçao das pessoas do seu grupo. Eles também procuram ressaltar qual seu perfil ” Especialista” ou ” Gestor” dando dicas e falando da importância de cada um, na minha opnião vale a pena dar uma lida nesta revista.

    Com a experiência que estou vivendo como trainee expert da OI, percebo que as empresas não querem pessoas bitoladas em bits e bytes como podemos dizer, mas sim em pessoas que além do conhecimento técnico seja capaz de desenvolver e liderar projetos de forma eficaz, que tenha capacidade de conciliar de forma harmônica estes dois lados da moeda.

    Abs!

    0

    0
  5. Marco Filippetti

    fmagnano, bingo! É isso aí… um dia, cedo ou tarde, você pode ter que liderar para avançar. Por isso, melhor estar preparado para quando este dia chegar…

    PS: Temos um post aqui no blog que cobre um pouco este assunto:

    http://blog.ccna.com.br/2008/05/31/carreira-em-ti-ser-chefe-ou-ser-um-especialista/

    0

    0

Deixe uma resposta