«

»

ago 18 2009

Entrevista – Luzikelly Cardoso – CCIE – Solutions Architect na BT

Olá pessoal! Para este tet-a-tet eu convidei a minha colega de BT, Kelly, que trabalha como Solutions Architect. A Kelly é uma profissional extremamente inteligente, capaz e tecnicamente versada. Eu já havia comentado que estava em meus planos trazer uma CCIE para o tet-a-tet, até para desmentir a tese que CCIE é uma certificação 100% dominada por homens. Coincidência ou não, semana passada eu estava lendo uma matéria que saiu na Você SA que falava sobre a ascensão das mulheres em profissões antes dominadas por homens, sendo engenharia uma delas. Segundo o artigo, nos últimos 30 anos o número de engenheiras duplicou. Eu cheguei a cursar engenharia, e me recordo – com tristeza – da minha sala, composta por 35 marmanjos e apenas 2 bravas meninas. E o que é interessante… da minha turma de engenharia, apenas 10 formaram-se. E destes 10, as duas – agora engenheiras. Não é difícil entender a determinação e o conseqüente sucesso delas. A competição é a mãe da perseverança 😉 ! E elas estão vindo aí, e com tudo. A Kelly é um exemplo do que a combinação de qualidades como determinação, garra, inteligência, simpatia e charme podem conseguir. E que sirva de lição para muitos marmanjos aqui 🙂 !!!

<– INICIO DA ENTREVISTA –>

[Marco] Kelly, antes de mais nada, deixe-me agradecer-lhe por aceitar participar desta breve entrevista! Em nome de todos os que nos lêem, nosso muito obrigado pelo seu tempo!

[Kelly] Marco, eu que sou grata pela oportunidade de poder contar um pouco da minha experiência para os leitores do seu blog.

[Marco] Para começarmos, gostaria que você nos contasse um pouco sobre sua trajetória. Por exemplo: Quando descobriu que gostava de redes, e quando começou a estudar para atuar nesta área? Você é engenheira por formação?

[Kelly] Descobri que gostava de tecnologia lá no comecinho da minha carreira, em 1995, no colegial técnico. Desde então adquiri uma simpatia especial por redes. No entanto, minha primeira experiência na área de TI foi como Administradora de Sistemas, e somente após 2 anos comecei a trabalhar com tecnologias ligadas à redes de computadores. Não tenho formação em Engenharia – sou Analista de Sistemas graduada pela FASP.

[Marco] Em termos profissionais, como foi seu início na área de redes? Pode nos contar por quais empresas e posições já passou? No início, encontrou muita resistência pelo fato de ser mulher, ou isso não atrapalhou muito?

[Kelly] Minha trajetória profissional em TI iniciou-se em 1997, em uma empresa nacional chamada Connect Systems Integrator, como trainee. A Connect foi comprada pela Getronics em meados de 2000. Continuei na Getronics após a aquisição e em Julho de 2007 me desliguei para integrar o time de SEs da NEC, atuando então com foco em Segurança da Informação. Após 10 meses na NEC tive uma oportunidade de contato com a BT, e aqui estou desde Maio de 2008.

A oportunidade que alavancou a minha entrada definitiva na área de redes foi a participação de um programa da Cisco chamado P-TAP – Partner Technical Apprentice Program, que tinha o objetivo de treinar e qualificar parceiros para atuarem como representantes do TAC Cisco em suas respectivas empresas. Participamos de um Bootcamp em San Jose/CA, que teve duração de um mês, e na sequência trabalhamos internamente na Cisco, em São Paulo, como Engenheiros do TAC, por um período de três meses. Deste treinamento participaram profissionais de vários integradores – CPM, HP, Medidata, Promon, Unisys e Getonics – empresa que eu representava. Era mandatório após o término do programa que fizéssemos a prova do CCIE Written. Eu fiz e passei. A partir de então a minha missão era alcançar a certificação, fazendo o Lab.

Por algumas vezes encontrei resistência sim ~ já passei por situações onde o cliente solicitou a presença de um “técnico”, pois o simples fato de ser mulher me desqualificava para a atividade 🙂 . Felizmente esta resistência/preconceito vem diminuindo muito ao longo dos anos. Hoje sinto que o público feminino conquistou o respeito em diversas áreas de Exatas, e TI é uma delas.

[Marco] E quanto às certificações? Quando foi sua primeira? O que a motivou a seguir estudando e evoluindo até conquistar o CCIE?

[Kelly] Conquistei minha primeira certificação quando ainda trabalhava com Administração de Sistemas na Connect – o MCP da Microsoft. Segui estudando e após algum tempo conquistei o MSCE (certificação que não mantive). Minha principal motivação sempre foi e continua sendo o desafio, obviamente que acompanhando da busca por crescimento profissional. Tive muito suporte da Getronics na época em que eu estava estudando, pois eles precisavam completar o quadro de CCIEs para alcançar a certificação Gold Partner da Cisco. Foi um caso de pessoa certa, na hora certa, na empresa certa.

[Marco] Você acha que o mercado ainda mostra preconceito com mulheres engenheiras, ou já se percebe uma evolução neste aspecto?

[Kelly] Em relação à aceitação que observávamos ha pouco mais de 10 anos, pode-se dizer que houve uma evolução bastante perceptível. Porém ainda existem diferenças ~ os números não mentem, ainda observamos diferenças salariais entre posições similares ocupadas por homens e mulheres em diversas empresas – na minha opinião esta é uma das maiores demonstrações do preconceito.

Por vezes ouço que esta história de discriminação para com as mulheres é coisa da imaginação feminina – mas fato é que, para conquistar espaço e reconhecimento, as vezes precisamos trabalhar dobrado.

Óbvio que nesta pauta entram em discussão uma série de fatores como questões de estabilidade e assim por diante. Não da pra ignorar que a maternidade é muitas vezes um fantasma para empregadores do público feminino. Mas no final das contas, impossible is nothing… quando me certifiquei em Novembro de 2004, meu filho, o Luca, tinha 2 anos de idade. Foi uma fase difícil para ambos, mas valeu cada minuto.

[Marco] Existe alguma mensagem especial que você gostaria de passar para as mulheres que nos lêem e que buscam um lugar neste competitivo mercado?

[Kelly] Sendo simples e direta – acredito que persistência e superação são dois dos principais ingredientes da fórmula do sucesso… aplique este princípio à busca do seu crescimento profissional e não haverá preconceito que a detenha.

Até a próxima! 🙂

[Marco] Kelly, uma vez mais agradeço em nome de todos por esta entrevista! Aproveito para dizer-lhe que, tendo trabalhado com você em alguns projetos, é uma dádiva ter como colega uma profissional tão competente!

Um abraço!

Marco.

<– FIM DA ENTREVISTA –>



Comente usando o Facebook!
0
0

37 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Renato Silva

    Muito Sucesso Kelly… onde trabalho também existem mulheres com essa visão de mercado!
    Parabéns.

    0

    0
  2. Fabio Ribeiro

    Pode ser que realmente o quadro de engenheiros e técnicos (feminino) esteja mudando…mas pelo menos na área de redes na Empresa em que trabalho não existe nenhuma mulher, e quando fiz a faculdade de TI, dos 35 alunos que se formaram, somente 3 eram mulheres…
    Mas isso na área de redes, porque na área de desenvolvimento na mesma Empresa até que há várias mulheres…
    Felizmente os tempos são outros e tudo muda muito rápido…e a igualdade profissional está cada mais em alta.

    0

    0
  3. Diogo Gaglioni

    Excelente entrevista ! Que sirva de motivação para as mulheres que estão atuando na área de exatas principalmente TI !

    Abraços !!

    0

    0
  4. cassiomarcel

    Muito Sucesso Kelly muito bom mesmo

    0

    0
  5. DenisBarlati

    Realmente um referencial para as mulheres da área, imagino que alem das cobranças profissionais deve ter havido tambem a questão de ser uma mãe presente na vida do pequeno Luca, que com certeza exigiu mais do que só a dedicação aos estudos. Parabens Kelly, desejo muito sucesso, e parabens mais uma vez ao Marco pela entrevista.
    Abraços,
    Denis

    0

    0
  6. Aldrin

    Tão motivante quanto cativante… Pra vocês terem noção, a consultoria de TI do grupo O Boticário é liderado por uma mulher! Que faz o seu serviço com excelência, charme e ainda de salto 😛

    Parabéns às mulheres!

    0

    0
  7. claytonreis

    Parabéns Kelly… ta ai mais uma prova que as mulheres se dão bem em cargos técnicos.

    Abs!!!

    0

    0
  8. Deco

    Parabeéns Kelly!

    Mais uma história de motivação para nós. Eu sinceramente não tenho preconceito quanto á isso.
    Tem trabalhos que as mulheres executam melhor que nós!

    Alguém já viu alguma mulher montar um quadro de telefonia por ex? Ou um patch panel? Cara,
    o negócio fica lindo! Organizado, tudo bonitinho e ainda por cima, quando você olha para o chão
    após o serviço concluido, vc vê tudo certinho, tudo limpinho. Realmente eu acho que é ridiculo
    esse negócio de diferenciar os salarios levando em conta o sexo da pessoa.

    um abraço, e sucesso pra você Kelly! Pode apostar que muitos aqui tem almejam ter
    garra assim como você teve pra obter seus titulos;

    0

    0
  9. gudines

    Parabéns Kelly!
    Não tem que haver preconceito.
    As mulheres são excelentes profissionais que exigem respeito.

    0

    0
  10. Suzi

    parabens pela conquista !

    0

    0
  11. Tiago Morais

    Parabéns Kelly!

    Mais um grande exemplo!

    Abraço galera!

    0

    0
  12. wagner

    Sentar e chorar é muito fácil, agora levantar e ir a luta, aiii…. o bicho pega.

    Parabéns MESMO!!! Parece ser muito determinada….

    Creio que o preconceito de mulher se asemelha um pouco ao preconceito racial…os dois são um absurdo e totalmente desnecessários…

    Em sua maioria os mais bem sucedidos e fantásticos ou sao negros ou são mulheres…

    Parabéns de novo!!!!

    0

    0
  13. A. Carvalho

    Fez por onde, bela carreira a construída.

    E realmente Aldrin, ver elas trabalhando com salto, não sem preço. 😛

    Abs!

    0

    0
  14. Eliseu

    Parabéns Kelly, sucesso sempre… que vc serva de exemplo para que mais mulheres escolham a nossa area como profissão.

    0

    0
  15. Mauricio Bento Ghem

    Parabéns Kelly,

    Você mostra como é necessário a perseverança para atingir os objetivos, respeito isso.
    Temos que querer de verdade!

    Sucesso!

    PS: Estou me formando em Engenharia, e também, só tem uma mulher na minha turma.

    0

    0
  16. Chaider.lima

    Muito boa a entrevista feito pelo Marcos
    Ela tocou num ponto que a vocação em seguir uma área que ela se sente mais hábil . E é lutando pra se conseguir os objetivos

    0

    0
  17. Celso

    Parabéns Kelly,

    Sucesso, acredito também na persistência e superação.

    Sds,

    0

    0
  18. Alexandre Canalle

    Parabéns Kelly,
    Isso sempre mostra que, independente do “cenário” de vida seu, sempre haverão resultados àqueles que buscarem com afinco seus sonhos.
    Obrigado por compartilhar sua história conosco!

    Ps.: Estou me formando em Tecnologia e já visualizou um crescimento, mesmo que tímido, no número de mulheres de uma turma para outra. Isso TEM que mudar 😀

    0

    0
  19. Fernando Guerreiro

    Parabéns Kelly,

    ótima entrevista, é realmente muito “inspirador” para nós aspirantes a CCNP/CCIE ver que o sonho não é tão distante se tivermos determinação.
    As entrevistas são sempre ótimas, é muito enriquecedor para todos nós esse tipo de contato com outros profissionais.

    Parabens!

    0

    0
  20. Israel Carlos

    Fantastico !!!!

    0

    0
  21. Pedro

    Olá a todos, primeiro parabéns à Kelly pela certificação e pela carreira. Agora vamos às minhas opiniões:

    1 – Eu ainda não percebi a ascenção das mulheres no mercado de TI como foi comentado. Lógico que existem e pode ter dobrado o número de engenheiras (de 2 para 4) mas isso é natural pois as mulheres estão percebendo cada vez mais q precisam de uma carreira e um profissão, de serem independentes. Mas onde trabalhei ainda continuo vendo pouquíssimas mulheres e nos cursos q fiz em TI também. Ou seja, ainda acho q são exceções. Mulher, de forma geral, não gosta muito de TI, especificamente falando da parte técnica. A parte gerencial ainda é melhor aceita.

    2 – Outra coisa é essa opinião de que as mulheres vem aí, vão tomar os mercado dos homens, são melhores, tem mais garra, tem mais ….
    Acho isso uma bobagem. Quem é um bom profissional sempre terá sua vez, não importa se é homem ou mulher. Existem péssimos profissionais homens e mulheres. Existem excelentes profissionais homens e mulheres. Acho q cada um tem um pouco do seu jeito mas as aspirações são as mesmas e o potencial também. Nunca faço avaliações de uma pessoa por ser homem ou mulher.

    3 – Fquei com uma dúvida. Pelo que entendi a Kelly foi direto para o CCIE, correto ? Ela então não chegou a seguir as outras certificações (CCNA, CCNP, etc..) ? Gostaria de saber dela se não encontrou dificuldade por isso ? Como foi sua rotina de estudos ? Quanto tempo levou para estudar tudo para o CCIE ? Ou seja, mais detalhes de como adquiriu todo o conhecimento necessário.

    E Marco, parabéns por mais esta entrevista. Normalmente dão os melhores posts.

    Abrçs,
    Pedro.

    0

    0
  22. Roberto Mendonça

    Ótima entrevista.
    Tive a oportunidade, como funcionário da Getronics, de trabalhar com a Luzikelly. Ótima profissional, Ótima pessoa e uma das grandes incentivadoras para que eu também pudesse conquistar meu CCIE.
    Sem dúvida um grande exemplo a ser seguido.

    Kelly, grato por tudo e muito bom lhe encontrar por aqui !!!!

    Bjão,

    Roberto Mendonça

    0

    0
  23. marcelo.com

    Tirar o CCIE e cuidando de um filho de 2 anos realmente é de levantar e aplaudir !!
    Taí mais uma qualidade das mulheres, conseguir fazer muitas coisas ao mesmo tempo…
    Vamos aprendendo com ELAS…

    Congrats…

    0

    0
  24. Rafael Isquierdo

    Cara, apenas para tirar o CCNA já estou penando e me dedicando ao maximo. Imagine ela que tirou o CCIE e ainda com um filho para criar. Não é qualquer pessoa que tem tamanha força de vontade igual essa mulher.

    Boa sorte ha ela e vamos seguir esse exemplo de garra e determinação.

    0

    0
  25. nandoismil

    Parabéns Kelly por quebrar essas barreiras e ser espelho para outras mulheres.

    PS: Ótimo o comentário do Wagner!

    0

    0
  26. Ge Salles

    Parabéns Kelly!

    Uma ótima fonte de inspiração.

    Eu concordei em várias partes do post do Pedro. Independente de ser homem ou mulher a importância de ambos dos sexos, é se tornar um ótimo profissional.
    Infelizmente a área de TI não é tão procurada pelo público feminino. No meu caso mesmo, eu sou uma das pouquissímas mulheres da turma de redes. (Agora só tem 3 meninas contando comigo, e olha que estamos no 2° semestre ainda)

    Ahh, fiquei muito feliz de ver que TODOS os homens que postaram demonstraram muito apoio as mulheres.

    Abraços.

    0

    0
  27. luzikelly

    Olá pessoal!

    Primeiramente gostaria de agradecer a todos pelas mensagens super lisongeiras. Fico feliz que o conteúdo da entrevista tenha servido de motivação para algumas pessoas. Obrigada!

    Meu obrigada novamente ao Marco Filippetti pelo convite. O CCIE foi sem dúvida uma de minhas maiores conquistas no campo profissional e é sempre bacana compartilhar minha tragetória.

    Um abraço especial ao Roberto Mendonça. Um excelente profissional e uma graça de pessoa. Roberto, a recíproca é verdadeira! 😉

    Pedro, respondendo às suas perguntas ~ fui direto ao CCIE sim.

    Como disse na entrevista, era requisito para o bootcamp que fizéssemos o written após o treinamento. Na minha opinião, apesar de parecer o caminho mais curto e fácil, não foi tão simples assim. Quando você faz o tracking completo a quantidade de informações é particionada e os conceitos mais detalhados. Estudar com foco no CCIE significa que você precisa dominar todos os conceitos básicos e avançados que a prova demanda de uma só vez. Se alguém me perguntasse qual a minha recomendação, diria que fazer o passo-a-passo é mais vantajoso.

    Estudar para o CCIE fez parte da minha vida durante, no mínimo, dois anos. Quando falo estudar, considere também a experiência do dia-a-dia, pois na época ja trabalhava com foco em redes. No entanto, intensivamente, estudei por seis meses, sendo que três deles com foco 100% do meu tempo produtivo. Como disse na entrevista a empresa tinha interesse em nos certificar (éramos três estudando), então durante 90 dias não fiz outra coisa. Com horários malucos e muitas noites em claro. Tínhamos um rack apenas e três pessoas compartilhando, então eventualmente o “shift” era noturno.

    Tive muito apoio de algumas pessoas as quais serei eternamente grata… o Teddy Llano e o Leandro Gutierrez são dois deles. Ambos trabalhavam na Getronics comigo na época e foram fundamentais para os estudos.

    Por fim, se alguém me pedisse dicas para chegar lá, sucintamente, eu diria… depois que você dominar TODO o conteúdo técnico estará 50% preparado, daí é só:

    1 – Manter o controle. 50% da preparação envolve controle emocional… manter a calma, ter sangue frio, controlar o tempo, pensar de forma clara, objetiva e organizada são itens fundamentais;

    2 – Lance mão de toda e qualquer ferramenta que te ajude a ganhar tempo, eu comecei a minha prova montando vários scripts que me ajudaram nos testes. Super útil;

    3 – Seja humilde. Pergunte. Peça ajuda as pessoas que estejam dispostas a ajudar. Procure alguém para ser o seu “buddy” nos estudos, trocar idéias, experiências.

    4 – Ajude.

    5 – Por fim… esta pode parecer uma grande bobagem, mas… um dia antes da prova desconecte-se completamente do material de estudo. De um tempo para seus neurônios. Faça qualquer coisa que te ajude a relaxar. No meu caso… dormi muito, fui ao cinema, me alimentei bem e exercitei minha auto-estima. Passei longe dos livros. Esta foi a regrinha de ouro do Llano. Bobagem ou não, funcionou 🙂

    Bom, é isso!

    Um grande abraço a todos!

    0

    0
  28. Mauricio Bento Ghem

    Nossa, inspirador!

    E a última dica é MUITO IMPORTANTE! Após uma longa jornada de estudos, não é um dia antes que vai fazer você passar na prova.

    Parabéns por tudo Kelly!!!

    0

    0
  29. L.C.F.N

    Parabéns ao Marco por mais essa fantástica entrevista e também é claro, para a Luzikelly!
    E que essa entrevista possa servir de motivação para as mulheres que ainda se sentem intimidades com essa área, pois histórias e dicas para isso vejo que não falta e acabamos de ter alguns exemplos disso.

    0

    0
  30. Pedro

    Obrigado pela atenção e pelas informações Kelly.

    Abrçs,
    Pedro.

    0

    0
  31. ferrugem

    Mais um excelente tet-a-tet Marco… Parabéns mais uma vez!!!

    Muitos parabéns também a nossa amiga kelly por todas as conquistas obtidas e pela constante busca pelo crescimento! Obrigado pelas informações fornecidas e pelo tempo desprendido para conosco Kelly! 😉

    Sem sombra de dúvidas, uma história, assim como muitas outras que já tivemos e temos por aqui, que só motiva mais e mais os que ainda estão começando!

    Parabéns, mais uma vez!

    Abraço e ainda mais sucesso,
    Felipe Ferrugem!

    “Juntos somos ainda melhores!!!”

    0

    0
  32. Guilh3rme

    Cada vez mais me inspiro em estudar Cisco 😀

    Muito boa a entrevista.

    Abraços!

    0

    0
  33. Carlos Almeida

    Ótima entrevista!!!

    Na verdade é uma fonte de inspiração e motivação. O fato é que tem mulheres na área de TI que dão de 10 x 0 em muuuitos marmanjos!!!!
    Parabéns Kelly!!! Muito mais sucesso para você!!
    Valeu Marco!!

    []’s

    0

    0
  34. Alexandre Lima

    Marco muito boa a entrevista!!
    Kelly seu filho, certamente vai ficar muito orgulhoso de ter uma mãe que rompe barreiras no mundo cisco, isso com certeza vai ser um pilar de motivação, para ele quando ele crescer!

    Abraços e sucesso na familia e profissional.

    0

    0
  35. phillipe

    Excelente entrevista!

    0

    0
  36. Marcia Guimaraes

    Parabéns Kelly !

    Sua trajetória… só serve como exemplo para as mulheres que estão na área.

    Abraços !!!!

    0

    0
  37. gustavofranco

    Parabéns otima entrevista, uma coisa também pode ser notada e não comentaram quando a empresa tem foco de crescimento positivo ela não pensa só em dinheiro mas também em engradecer o corpo de inteligência da empresa, tristemente poucas praticam!

    0

    0

Deixe uma resposta