«

»

set 05 2010

O perfil do mercado de TI no Brasil – versão 2010 (by APINFO)

Muitos aqui gostariam de saber quais as profissões “quentes” em T.I., para direcionarem seus estudos ou suas carreiras. Muitos sites publicam pesquisas que, na maior parte das vezes, soam como “compradas” dados os resultados presenciados (isso não quer dizer que sejam – de fato – matérias pagas, deixo isso bem claro). Existe um site, entretanto, que bienalmente realiza e publica uma pesquisa que eu considero ser bastante realista, já que as pessoas que respondem a esta pesquisa somos nós (todos nós), frequentadores deste site. O site a que estou me referindo é o já conhecido APINFO. Para os que não o conhecem, o APINFO é um excelente portal com vagas de emprego focadas em T.I., onde vocês podem cadastrar seu CV, pesquisar as vagas disponíveis e submeter seu perfil para a empresa que esta à procura. As pesquisas deste site constumam ser sérias, apesar de não serem sofisticadas. Mas dá para ter uma boa noção de tendências, salários, perfil das vagas e demanda (por região do país).

A versão 2010 desta pesquisa foi disponibilizada pelo APINFO em Abril deste ano. Abaixo, alguns “highlights” da mesma. O link direto para a pesquisa está aqui.

  • Menor número de estagiários, queda da participação feminina e dos profissionais com menos de 23 anos.
  • Grau de escolaridade dos profissionais continua a subir.
  • Apenas 18 % são fluentes em inglês.
  • O número de profissionais com alguma certificação continua a subir, MCP é a mais popular.
  • Java é a linguagem mais utilizada, seguida de C# e PHP.
  • Depois de quedas constantes desde 1997, em 2010 o número de profissionais com o vínculo CLT voltou a subir.
  • PJ ou terceiro é o vínculo desejado por apenas 9% dos profissionais pesquisados.
  • 29 % dos profissionais possuem empresa ativa, a maior parte paga até  R$ 180,00 por mês e  não paga décimo terceiro para o contador.
  • O percentual de profissionais com o vinculo de CLT-flex ficou estável em relação a 2008.
  • A cada pesquisa aumenta o número de benefícios recebidos pelos profissionais.
  • A grande maioria é favorável a regulamentação das profissões de TI e esta otimista sobre o futuro.
  • Muitos salários foram reajustados abaixo da variação da inflação.

Destaquei em amarelo 4 pontos que achei interessantes e que mostram uma tendência importante. Observem que quando os resultados da pesquisa deste ano foram comparados com os da pesquisa realizada há 2 anos houve um incremento no nível acadêmico dos respondentes. Também, em destaque, o crescente número de profissionais com alguma certificação em T.I. Isso mostra um mercado mais competitivo, onde os candidatos percebem aos poucos que uma formação pode – de fato – ajudá-lo na busca por uma vaga. Por outro lado, do universo de quase 18 mil profissionais que responderam à pesquisa, apenas 18% possuem fluência no Inglês. Isso mostra um bom caminho potencial para alguns candidatos investirem e conquistarem um diferencial com relação aos demais. Vemos ainda que as empresas estão contratando mais na modalidade CLT hoje do que há dois anos, e que os benefícios (de acordo com as declarações dos entrevistados) estão melhorando. Isso, ao meu ver, já mostra um mercado mais preocupado em selecionar melhor os candidatos para uma vaga e uma preocupação crescente em manter este empregado, reduzindo o indesejado “turn-over”.

Enfim, cada um que tire suas conclusões. Mas parece que o mercado está ficando um pouco mais maduro – e mais duro também. Não está mais fácil conseguir um emprego hoje do que há dois anos, mas parece que, em conseguindo um, as chances de ser feliz nele estão maiores. E vocês? O que acham disso? Concordam?

Seguem mais alguns dados:

Grau de Escolaridade:

null

Fluência em Inglês:

null

Certificações:

Obs: O número de profissionais certificados subiu de 22% no ano de 2004 para 32% em 2010.

Certificações mais comuns:

Obs: 25 % dos profissionais que possuem alguma certificação, são MCP.

Tabelas salariais:

Uma vez mais, os valores apresentados na pesquisa devem ser analisados sob o prisma de que, quem informou estes valores são – em tese – profissionais que trabalham nos cargos informados e que recebem os salários (brutos) informados. Muitos de vocês podem discordar dos valores, mas trata-se da realidade brasileira para estas funções.

Espero que aproveitem este post para incluir o APINFO em seus favoritos! Vale a pena.

Abraço!

Marco.



Comente usando o Facebook!
0
0

14 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. alcantara_jp

    Conheci o APInfo há um ano atrás. Hoje, trabalho durante o horário comercial e a noite dou aula num dos melhores centros de TI do RJ. As duas vagas conquistadas através do Site.

    Excelente referência.

    0

    0
  2. Frederico Guilherme

    Conheço o site já tem algum tempo, em algumas empresas que passei consegui vaga pelo site também, acredito que o nível esteja realmente crescendo, assim como todos estão correndo para se certificar, acredito que hoje em alguns pontos é muito mais vantagem possuir um CCNA (exemplo) do que um curso técnologo (sem desmerecer ninguém e nenhum curso), apenas pelo fato do CCNA ser uma certificação reconhecida internacional acho que já deixa com um gostinho bem saboroso.

    Acho que valeu muito esse post, já serve de base a muitos !

    Obs.: No último gráfico o CCNA está como Cisco Certified Academy Associate (errado), onde o correto é Cisco Certified Network Associate

    Vlw !!

    0

    0
  3. Rodrigo Farias

    Nossa senhora, não sabia que tantos profissionais falavam inglês fluente (18%)? Estou impressionado. Achei que o número era bem mais baixo. Raramente eu encontro um profissional que saiba inglês intermediário, imagine fluente! hehe..

    0

    0
  4. Aloízio

    Acho que as pessoas não sabem bem o que é inglês FLUENTE e estão super valorizando o seu nível de conhecimento, pois é muito difícil você encontrar alguém que fale com fluência o idioma.

    ABS!!!

    0

    0
  5. adilson florentino

    Uma das coisas que mais me chamou a atençao foi a participacao das Certificacoes Microsoft. O numero de profissionais certificados CCNA é bem menor e outros titulos da Cisco como CCNP nem aparecem. Ou seja, ser CCNA ainda é um diferencial bem maior do que ser MCP !

    0

    0
  6. Daniel Gurgel

    Achei a média salarial baixa… 🙁 uma pena para todos os bons profissionais!

    0

    0
  7. Marco Filippetti

    Daniel, bons profissionais ganham acima da média. Lembre-se disso. Abraço!

    0

    0
  8. ArcanjoV8

    Obrigado por divulgar a noticia. Realmente, interessante.

    0

    0
  9. Dean

    Muito bom! Obrigado por compartilhar.

    0

    0
  10. Daniel Valente

    Não tinha noção que certs Microsoft são tão comuns ( como alguém estuda microsoft? rsrs ) e bom saber que número de certificações CISCO a nível profissional é pequeno. ; )

    0

    0
  11. Carlos Almeida

    Apresentando a realidade dos profissionais de TI atuais, com certeza, dá uma base para nossos futuros objetivos!

    Muito bom o artigo! Parabéns!!

    []’s

    0

    0
  12. boliveira

    Muito interessante a pesquisa, esta eu não conhecia.
    Três coisas me chamaram a atenção, a primeira é que não esperava que as certs da MS estivesse no topo seguidas pela ITIL. A segunda, eu imaginava que existissem mais profissionais fluentes no inglês e a terceira, que eu já sabia, se refere a graduação que hoje é o básico.
    Por isso acho que devemos continuar seguindo na linha diferencial .. inglês, certs como cisco,pmp e lpi e pra quem já se formou segue com uma pós ou mba.
    \o/

    0

    0
  13. Fernando Avelino

    Na minha opinião a falta de mão de obra qualificada é culpa das próprias empresas que não investem em programas de trainee e estágio decente (poucos são bons).

    Atualmente sem um bom “QI”, o profissional sem ou com pouca experiência tem pouquíssimas chances de ingressar em uma empresa TOP, o modo mais fácil é via programas de trainee e estágio, e geralmente exigem do candidato além de proatividade ao menos o inglês avançado.

    A culpa e das empresas, que não investem na formação profissional.

    Deviamos tomar como exemplo a indústria, que da valor e utiliza mão de obra sem experiência do SENAI por exemplo, você da oportunidade de desenvolvimento profissional para o profissional sem experiência, coisa que vemos muito pouco na área de TI onde o profissional sem experiência, em geral é utilizado como mão de obra barata em help desk.

    0

    0
  14. vcaixeta

    O topico é antigo ams tenho que comentar, estão metendo o pau na MS, meu, são caminhos diferentes! Um ali falou pra seguir diferencial, fazendo LPI, CCNA ao invez de MS, que ridiculo! Tem que seguir o que gosta mais, o que mais te da prazer, senão não adianta nada! Vou partir pra Linux só porque tem menos profissionais do que MS então mesmo sem gostar de Linux? Vou partir pra PMI mesmo odiando Projetos? Sem contar que PMI preciso de experiencia comprovada na Area, entao vo arruma um trabalho com projetos só pra poder tirar ela, tsc, cada uma!

    0

    0

Deixe uma resposta