Entrevista: Deli Matsuo – Head of Human Resources LATAM – Google

Pessoal, para dar o ponta pé inicial nesta nova sessão do blog – batizada de tet-a-tet (ou cara-a-cara) – convidei para a nossa primeira entrevista um profissional que hoje é referência no mercado: Deli Matsuo – Head of Human Resources Latin America para o Google! Tive a felicidade de tê-lo como colega de faculdade, onde já ficava clara a sua predestinação ao sucesso profissional. Sua posição hoje, à frente do departamento de Recursos Humanos desta empresa visionária, não me espanta nem um pouco.

Deli é uma pessoa fantástica, dotada de extrema inteligência, sem dúvida um ponto fora da curva.

A entrevista teve suas questões organizadas em 5 temas:

  1. A importância de um 2o idioma para o mercado.
  2. O que o Google busca em um profissional
  3. A relevância da formação
  4. Certificações em TI
  5. Experiência

Abaixo, a transcrição na íntegra da entrevista realizada com exclusividade para o blog Cisco Certified:

<INICIO>

Deli, muito obrigado por disponibilizar parte do seu escasso tempo para participar desta breve entrevista. Como lhe disse, o objetivo é procurar transmitir aos leitores do blog – jovens e iniciantes no mercado, em sua maioria – quais as características observadas e valorizadas por empresas multinacionais, como o Google.

1) A relevância de se dominar um 2o idioma para se conquistar uma vaga no mercado.

Marco – Uma dúvida que parece torturar grande parte dos que ainda estão tentando encontrar seu espaço no mercado diz respeito à aparente obrigatoriedade de se dominar um segundo idioma. Recentemente, navegando pela sessão de perguntas e respostas do LinkedIn, me deparei com a seguinte questão: “INGLÊS – NECESSIDADE OU MODISMO?”, colocada por um experiente profissional da área de IT. Gostaria que compartilhasse conosco sua visão: Afinal, dominar um segundo idioma – notadamente o Inglês – é mesmo tão importante para o mercado? A alta demanda por profissionais com esta característica seria mesmo um “modismo”, ou os profissionais recém-inseridos no mercado, de fato, necessitam deste conhecimento em seu dia-a-dia? Finalmente, especificamente no caso do Google, seria este requisito eliminatório em um processo seletivo?

Deli Matsuo – O inglês não é um modismo, é um meio de comunicação. Pense nele como um telefone que você usa para se comunicar com pessoas pelo mundo. Se você não tem esse “telefone” você ficará limitado a trabalhar no seu micro-cosmo. Não acho que seja fundamental para a existência humana ou profissional, mas vai limitar o universo de interlocutores com quem você fará negócios. No mundo de TI, inglês é importante, assumindo que quase todo o material técnico produzido no mundo, sai primeiro em inglês. No Google e em empresas globalizadas, o inglês é o idioma das reuniões entre os escritórios. Algumas das entrevistas no Google são em inglês porque alguns dos entrevistadores são de fora do país. No Google, inglês é fundamental.

2) O que o Google busca em um profissional de TI

Marco – O Google é conhecido por ser extremamente criterioso em seus processos seletivos. Quais as principais qualidades e habilidades que uma empresa visionária como o Google busca nos profissionais? Analisando o outro lado, o que desabonaria um profissional, logo na fase de análise curricular?

Deli Matsuo – O Google busca candidatos que se destaquem em algumas coisas, entre as mais importantes estão: habilidades congnitivas, experiência profissional, liderança e aderência à cultura do Google.

3) A relevância da formação acadêmica

Marco – Qual o peso da formação acadêmica em um processo seletivo? O nome da instituição de ensino tem peso no processo de análise curricular? Vale a pena fazer uma pós fora do Brasil? Você acha que Mestrados e Doutorados são vistos como diferenciais em processos seletivos realizados por empresas, ou apenas por instituições acadêmicas e de pesquisa?

Deli Matsuo – No Google, o título acadêmico tem muita relevância, no sentido de ser uma forma simples de evidenciar a capacidade cognitiva. Eu considero que a formação num mestrado cria credenciais para um profissional em qualquer situação. O que não pode acontecer é a pessoa ter apenas isso para mostrar e nenhuma experiência profissional, em um processo seletivo onde experiência é requisito fundamental. A pós fora do Brasil tem relevância se o tema do curso for relevante e se a instituição for de boa qualidade.

4) Certificações em TI

Marco – Existe hoje uma infinidade de certificações de TI disponíveis. Você acredita que estas representam, de fato, um diferencial para o profissional que as possui? Em sua opinião, quais as certificações mais importantes e reconhecidas hoje, pelo mercado? (ex: PMP, Cisco CCIE, CISSP, etc).

Deli Matsuo – As certificações são importantes, mas apenas isso não basta. O que estou tentando colocar de maneira clara é que para competir pelas melhores vagas, o candidato precisará apresentar um curriculo bem equilibrado.

5) Experiência

Marco – Temos aqui o velho dilema do ovo e da galinha. A principal queixa dos profissionais que estão ingressando agora no mercado é que a maioria das vagas disponíveis exige um mínimo de experiência. O argumento dos jovens é sempre o mesmo: “Como posso obter experiência, se não me dão uma chance de iniciar no mercado?”. Gostaria que você nos desse sua opinião sobre a relevância da experiência para vagas “entry-level”, e passasse uma dica para os jovens leitores que estão enfrentando este dilema.

Deli Matsuo – Para os jovens, recém egressados das escolas, o único que eles têm para oferecer é a formação acadêmica. Ora, justamente neste momento, ter uma formação sólida, entre os melhores da sua turma, faz a vantagem competitiva. É mais fácil uma empresa apostar em um jovem que se formou entre melhores da turma do que em qualquer outro, se a competição é muito acirrada.

-*-

Deli, com isso concluímos nossa entrevista! Gostaria de lhe agradecer em nome de todos os leitores deste blog e em meu nome, claro, pela paciência, disponibilidade e abertura. Sabemos que sua agenda é muito restrita, e que participar de algo assim nem sempre é fácil.

<FIM>

Pessoal, espero que esta primeira entrevista tenha servido para lhes dar algum direcionamento profissional, especificamente nestes 5 pontos abordados.

Em breve teremos mais, aguardem!

Um grande abraço,

Marco Filippetti



Comente usando o Facebook!

Deixe uma resposta