Cisco anuncia o programa CCIE Emeritus, para CCIEs experientes

Notícia interessante sugerida pelo Ferrugem, da fonte abaixo:

http://www.networkworld.com/community/blog/cisco-announces-ccie-emeritus-program

Quem é do mundo de redes sabe que atingir o nível CCIE não é fácil. Além da prova escrita, é preciso ser aprovado no lab, e poucos são os que conseguem ser aprovados mesmo após a segunda ou mesmo terceira tentativa. Para manter o status de CCIE, o profissional deve recertificar-se a cada 2 anos, realizando novamente o exame escrito. Agora, imagine que você tenha obtido a certificação CCIE há mais de 10 anos, e hoje atua como gerente ou diretor, e não está mais diretamente ligado ao “hands-on”. Fica meio sem sentido a realização do exame CCIE escrito apenas para recertificar-se e não perder o status CCIE.

Pensando nisso, a Cisco lançou recentemente o programa CCIE Emeritus. É bem simples: Profissionais certificados CCIE com status ativo há 10 anos ou mais podem optar pela inscrição no programa, e deixam de ser obrigados a renovar a certificação a cada 2 anos – ainda assim mantendo o status CCIE. Na verdade, o que ocorre é que o CCIE passa a ficar em estado “dormente”, por assim dizer. Você é CCIE, mas não com status ativo. Se quiser reativá-lo, basta realizar o exame escrito e pronto. Para alguns profissionais, é uma mão na roda! Acaba com a “neura” de ficar recertificando-se a cada 2 anos. Mas… isso traz três incovenientes que devem ser pesados. São eles:

  • CCIE Emeritus não possuem acesso prioritário ao TAC (apenas CCIEs ativos o têm)
  • O status CCIE Emeritus não conta para o programa partner status (Gold, Silver, etc)
  • CCIE’s cadastrados no programa Emeritus devem colocar em suas assinaturas, cartões, etc… a palavra “Emeritus”. Por exemplo, o Cássio do blog, se fosse cadastrado no programa, teria de assinar como “CCIE #13900 Emeritus“.

O processo de cadastramento no programa envolve o pagamento de uma taxa no valor de US$85. Todos os Emeritus cadastrados devem reiterar seu interesse em prosseguir no programa a cada ano (sem pagar nada), submetendo neste processo todas as atividades desenvolvidas na área de redes durante o período. Estas atividades podem ser publicações, pesquisas, consultorias, projetos, gerenciamento de empresas de rede e telecom, etc. pelo que consta, até mesmo blogar é aceito 😀 ! Portanto, fica a dica!

Valeu Ferrugem!

Abs

Marco.



Comente usando o Facebook!

Deixe uma resposta