Melhor fazer o exame em Português ou Inglês? Fazer o novo ou o antigo?

Pessoal, tenho visto que ainda tem MUITA gente com este tipo de dúvida… me perguntam se é verdade que o mercado reconhece mais quem faz o CCNA em Inglês do que em Português, ou se é melhor fazer uma versão mais nova de um exame do que uma versão antiga (caso em que, no processo de upgrade de versão de exame, existe um tempo de overlap e ambos ficam disponíveis).

Me perguntam ainda se, quando uma versão de um exame vai ser aposentada, se o candidato fizer a versão antiga, no momento da substituição, se a certificação obtida continua válida… enfim, muitas perguntas sobre o tema.

O que eu gostaria de lembrar é o seguinte:

  1. A certificação (seja o CCNA, CCNP ou qualquer outra) não leva em conta o idioma em que o(s) exame(s) foram realizados, onde foram realizados, quanto tempo você levou para realizar cada um, a pontuação obtida ou qualque outro parâmetro. Leva em conta apenas uma coisa: o quesito PASS. Se você passou, parabéns, certificou-se. Um CCNA que fez o exame na Austrália, em Inglês, e gabaritou a prova é tão CCNA quanto um que fez o exame aqui, em Português e passou raspando.
  2. Para a Cisco e para o mercado, não interessa qual o número do exame que você fez. Eu, por exemplo, tirei meu CCNA fazendo o exame 640-607, em 2000, nos Estados Unidos, em Inglês. E meu certificado é tão válido e reconhecido pelo mercado quanto o de alguém que fez o exame 640-802 aqui, no Brasil, em Português – lógico que a certificação precisa ser renovada a cada 3 anos.

Portanto, no caso do CCNA Sec, quem fizer o exame atual (640-553), será tão CCNA Sec quanto os que fizerem a nova versão (640-554). E a certificação seguirá valendo quando entrar o exame novo e sair o antigo. E ninguém saberá qual a versão que você fez, pois o certificado não mostra isso (e o mercado não estaria nem aí, mesmo se mostrasse).

Agora, sobre a pergunta: “Mas e aí, qual versão é melhor fazer?”

Eu sempre digo: Para que trocar o certo pelo duvidoso? Vai fazer a nova, com novos tópicos e com risco de pau no sistema na hora de fazer, para quê? O objetivo não é tirar a certificação? Então, minha opinião é que você procure o caminho mais curto e de menor risco. Mas aí é de cada um 😉

PS: Se quer saber o que renova o que e até quando vale, cheque este post!

Abraço

Marco.



Comente usando o Facebook!

10 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Ótimo post. Respondeu uma pergunta que fiz no post anterior sobre o CCNA-S.

    Abraços.

  2. hahaahuahuhau
    O marco disparou o escrevedor! ahuahuahuhauh que bom que reviveu os posts!
    Abçs

  3. Eu avisei Flyner!!! I AM BACK!!!! 🙂

  4. Sobre fazer em português ou em inglês, eu sempre recomendo que se faça em inglês. Por três motivos:

    1o. e principal motivo: bônus de tempo. Quem faz a prova em idioma que não é nativo ganha um bônus de 30min no tempo da prova, o que ajuda pra caramba.

    2. Você não fica à mercê do tradutor. A tradução das provas costuma ser boa, mas ainda assim é uma tradução.

    3. Prova em português, só no nível CCNA. Quem for seguir a carreira tem que estar preparado pra fazer provas em inglês, mais cedo ou mais tarde.

    Mas o que o Marco disse é verdade: quem faz em português é tão CCNA quanto quem faz em inglês, japonês, italiano ou esperanto.

  5. Faço as palavras do zekkerj as minhas. E dico que profissional de redes sem inglês e CCNA fica muito limitado, então vamos estudar inglês (dedicar, disciplina) que vocês conseguem eu consegui e não me arrependo de perder 02/04 horas por dia (seg a sab) estudando inglês e CCNA, e ainda estou na ativa sempre buscando a perfeição.
    Um abraço.

  6. Amigo Marcos Santana essas 02/04 horas de dedicação ao Inglês você faz em escola particular ou estuda por conta mesmo? Tem uma linha de estudo no Inglês? Pois meu inglês é mais ou menos e estou estudando para tirar LPIC-1 e no mes de janeiro estou iniciando minha caminhada para o CCNP e precisarei aprimorar meu inglês. Muito obrigado desde já.

  7. Ola, fernando_mi, sim tenho uma linha de estudo, essas 02/04 horas hoje é o tempo que tenho aprimorar o inglês e revisar o CCNA e é por conta mesmo, penso assim, todos nós temos tempo de pelo o menos 01/02 hora(s) no mínimo para estudar por dia, nem que seja de madrugada, no almoço, na condução, horas em redes sociais, se vira que a pessoa acha tempo, o dia tem 24hs, é ai que começa a disciplina, eu aproveito a ida da condução de 01h mais 01h no serviço para revisar o CCNA, e estou revisando agora o livro do Marco, o material netacademy e o 31 days before your CCNA exam e na volta ouço entrevistas em inglês que baixo do youtube e passo para o celular, gosto muito do Larry King, que pena que o programa dele na CNN encerrou, gosto dos discursos do Barack Obama também o inglês dele é fácil de entender.

    No meu caso dedico 03hs de leitura (01h inglês e 02h CCNA) de seg. a sex., más se aparecer mais tempo caio dentro, aos sábados (noite) e domingo (tarde) é de lei 04 horas de inglês (leitura, conversação, escuta), no tempo de netacademy os sábado e domingos o chicote estralava aqui em casa para estudar o material eram 8hs com 04 intervalos de 30 min.

    Nesta 02/04hs por dia leio (leitura) noticias de redes em inglês ( http://www.computerworld.com ) e sites de noticias ( http://www.nytimes.com / http://www.bbc.co.uk), coloco eles para abrir com o navegador, más o inglês tem que ser o dia a dia mesmo, uso o sharedtalk.com e livemocha.com para conhecer pessoas e depois adiciono eles no skype daí você já vai criando um networking e durante a semana vou conversando (conversação) com algum deles ai que você começa a deslanchar, é uma coisa natural com os dias você vai conseguindo fluência e nem pensa mais em português, ouço (ouvir) bastante Voice Of America ( http://mfile.akamai.com/2110/live/reflector:56822.asx?bkup=56936), “abra este link no Windows Media Player” quando estou na minha sala coloco um headphone com microfone de R$10 no ouvido e fico horas ouvindo a radio, e vou fazendo meus afazeres, deixo em .wpl para inicializar junto com Windows.

    Más as pancadas que tomei (até fico emocionado quando lembro) em duas multinacionais me fez alcançar o objetivo (aprender) a qual em uma delas tinha momentos há qual era necessário falar fluente com funcionários nos EUA quando abriam chamados, a qual eu só catava milho, e tinha que pedi para uma colaborador falar com o funcionário em inglês em uma conferência, para me ajudar, e isto me deixava lá embaixo, nesta empresa trabalha com redes, e na outra empresa com Linux, e nesta outra empresa só tinha eu de TI na unidade de São Paulo com alguns engenheiros (tinha alguns gringos também) e pessoal do service desk, todos são no mínimo trilingue e eu trabalha tão perto deles que ouvia a conversa, então me sentia um patinho feio, fazia minha obrigações más ficava chateado com o ambiente que a maioria usava o inglês para se comunicar e eu ficava de fora, é doloroso viu, por isto quando falo que fica limitado é isto você fica só em um ambiente e não vai para frente, ai eu falei vou aprender pronto e nada me segura ai comecei a me programar.
    Obs: Já estou neste batente do inglês há 02 anos e no inicio já arranhava o inglês tinha bastante dificuldade com a escuta, já fiz curso de inglês que é bom para aprender as regras do inglês, depois o resto é com você, agora me programo para fazer meu intercâmbio, para ter experiência de vida fora.
    Sei que é puxado más sempre levo um ditado de um professor de algoritmo comigo “Que o remédio é amargo más tem que tomar”.

    Deixo 02 dicas uma do Marco e a outra do Adilson Florentino.
    Pagina 24 do livro CCNA 4.1 – “6) Preciso saber inglês para estudar ou realizar o exame CCNA?”
    Se você deseja se tornar um profissional competente na área de redes (ou qualquer área relacionada com TI), você vai ter que saber inglês e ponto final.
    http://netfindersbrasil.blogspot.com.br/2009/12/hora-e-vez-do-ingles.html

    Espero ter ajudado você e os demais.

  8. Pessoalmente eu fiz só a prova do CCNA em Português.
    Tanto as provas do CCNP como as do CCIP passei em Inglês porque 1. não existem em português; 2. Você ganha mais meia hora por prova pelo fato de o inglês não ser sua língua materna e 3. como já foi dito aqui você não fica a mercê do tradutor (mesmo assim, muitas vezes, mesmo fazendo a prova em inglês, parece que você está passando uma prova de línguas e não de tecnologia…..)
    Para quem fala ou entende inglês, aconselharia a passar a prova do CCNA em inglês pelas razões citadas acima

  9. Amigo Marcos Santana não sei como lhe agradecer, muito obrigado mesmo, já anotei todas essas dicas criei um plano de estudo baseado nas suas dicas. Muito obrigado mesmo.

  10. Fernando uma coisa que me ajudou muito também no inicio foi assistir seriado em inglês com legenda em inglês.

Deixe uma resposta