Morar fora, vale mesmo a pena?

Olá amigos, é muito bom estar de volta…!

Peço desculpas pela interrupção de quase dois anos do blog… bom, o segundo destes 2 anos foi devido à mudança para Portugal – depois explico. O primeiro foi uma crise de meia-idade mesmo 😀

Como muitos já sabem, saí do Brasil no final de 2014, com destino ao Reino Unido (Inglaterra). Eu deixei isso bem documentado nos posts abaixo:

Morei na Inglaterra com minha família por quase 8 anos, e foi uma experiência incrível. A Inglaterra é um país excelente para se viver, e com certeza, hoje, tem um espaço especial em nossas vidas.

Veio a pandemia, e com ela, mudanças. Passamos até que bem a pandemia na Inglaterra. Mas começamos a ver muita gente indo embora. Nossos amigos todos, de uma hora para outra, “evaporaram”.  Cada um para um lado do mundo. Alguns, de volta para o Brasil, outros para Portugal, Singapura, Panamá, Dubai e Estados Unidos. Enfim, começamos a nos sentir muito sozinhos. Veio então uma proposta para minha esposa mudar-se para Portugal. Como temos amigos e até família na terrinha, pensamos “Por que não?”.

Na empresa onde trabalhei (F5), perguntei ao meu chefe se seria possível eu me mudar para Portugal. A resposta dele foi imediata “Claro que sim! Hoje, cada um trabalha de onde quiser – “Work from Anywhere”! Pode ir!” – mas eu, pé no chão, sabia que não deveria ser assim tão simples. Insisti que ele envolvesse o RH. E a resposta do Diretor de RH foi bem diferente – mais em linha com o que eu imaginava: “A F5 não tem presença fiscal, legal e física em Portugal, portanto não será possível mantê-lo se você decidir mudar-se.”

Mas estávamos decididos. Assim, dei meu aviso prévio e começamos a arrumar as coisas para a mudança. Isso foi na véspera da Páscoa de 2022.  Colocamos nossa casa em UK à venda – e vendemos em apenas 1 semana (o mercado imobiliário estava insano pós-pandemia!). Encontramos uma casa em Portugal (escolhemos viver em Cascais) e fechamos negócio. Tudo pronto para a mudança. Como minha esposa estava muito bem empregada, minha pressão por arrumar trabalho era menor. Tinha tempo e ia ver se encontrava algo para fazer por aqui (Portugal). Mandei currículos e recebi respostas. Participei de 4 processos seletivos em paralelo por aqui. Um em uma startup promissora, e os outros 3 em empresas multinacionais (incluindo CloudFlare). Todas as posições eram para posições melhores que a que eu tinha na F5 em UK (onde eu era Principal Trainer). Recebi oferta de todos os processos, e recusei-os todos. Motivo? Salário oferecido. Extremamente baixo para o cargo. O melhor que recebi era 2/3 do que eu ganhava em UK (o que era muito bom para os padrões Portugueses, mas não foi aceitável para mim). Fiquei um pouco desapontado e comecei a pensar em empreender por aqui. Neste meio tempo, meu telefone toca e meu chefe na F5 me diz que encontraram uma solução para o meu problema: Usariam uma empresa Portuguesa para me contratar e fazer a ponte com UK. Manteriam meu salário em Libras convertido para Euros. Lógico que aceitei na hora!

Hoje, mudei de área e fui para a consultoria (na F5), na posição de Principal. Moro em Portugal, e como não há escritórios da F5 por aqui, trabalho 100% remoto.

Acho que a lição a tirar deste post é a seguinte: Dependendo de onde você pensa em viver, Portugal não é um bom lugar para trabalhar como assalariado pois os salários são muito baixos. Sim, podem ser mais altos que no Brasil (se fizerem a conversão), mas o custo de vida aqui também será mais alto. Portugal é um dos países da Europa com os maiores valores de aluguel (passando inclusive a Inglaterra). Basta ver a notícia aqui. E os valores para se comprar um imóvel aqui também estão absurdamente elevados. Lógico que tudo depende da região. O Eixo Lisboa-Cascais é o que concentra os preços mais inflacionados. Quanto mais afastado, mais barato. Mas pensem nisso e pesquisem antes.

Depois escrevo mais sobre como é viver aqui. Por hora, é isso!

Abraço

Marco

Deixe um comentário