Voltar para CCNA

Duvidas em IPv6

Home Fórum CCNA Duvidas em IPv6

Visualizando 14 respostas da discussão
  • Autor
    Posts
    • #47647
      rlcdo
      Participante

      “A Internet está evoluindo rapidamente de uma coleção de dispositivos fixos para uma rede fluida de dispositivos móveis. O IPv6 permite que os dispositivos móveis adquiram e façam a transição rapidamente entre endereços conforme eles se movem entre redes externas, sem que haja necessidade de um agente externo. (Um agente externo é um roteador que pode funcionar como o ponto de anexo para um dispositivo móvel quando for de sua rede local para uma rede externa.) “

      Alguem pode me explicar isso melhor? Não entendi direito. Um dispositivo móvel (um celular ou notebook, por exemplo), pode adquirir sem nenhuma configuração um IPv6 e pode sair andando e mudar de rede (mudar o IPv6) de forma transparente pro usuário mantendo-o conectado a todo momento? E o que seria esse “sem a necessidade de um agente externo”? Aqui explica o que é um agente externo, ok, mas o que é ponto de anexo? É o mesmo que ponto de acesso? E se for isso, como um dispositivo móvel funcionaria sem ele?

      ==================================================================================================

      O que é a autoconfiguração de endereços do IPv6? Se puderem, me deem um exemplo de como é com o IPv4 sem esse recurso e como é com esse recurso do IPv6, pra eu entender melhor a utilidade deste recurso.

    • #104847
      adamus0007
      Participante

      No mundo do Ipv6 basicamente existem 4 configuracoes onde parametros tais como default – gateways , host addresses , prefixes e DNS servers podem ser adiquiridos.
      Sao esses : Statefull DHCP , Stateless Autoconfig. , Static e Static com EUI-64.

      Todos eles determinam da onde um host pega sua configuracao IPv6 escrita acima.
      Por exemplo : Statefull DHCP toda configuracao com a execao do default gateway eh pega do servidor DHCP.

      Primeras configuracaoes sao dynamicas , duas restantes sao estaticas.

      No autoconfiguracao – entendo eu stateless autoconfig.em questao – vc tem segunites configuracoes : prefixes pegos do local router atraves do NDP ( Network Discovery Protocol ) , host address derivado do MAC , default-gataway pego
      do local router ( NDP ) e DNS server pego do servidor Stateless DHCP .

      Vc configura host para stateless autoconfig com comando > (config-if) # :ipv6 address autoconfig

    • #104848
      zekkerj
      Participante

      @rlcdo, sobre a mobilidade em IPv6.

      Uma das novidades do IPv6 são os chamados "cabeçalhos de extensão". Um deles é o de mobilidade; assim, quando uma estação precisa de mobilidade, ela adquire um endereço IPv6 que a acompanhará onde quer que ela vá. Ao chegar em um ponto de acesso, ela adquire um IP na rede local, e usa os cabeçalhos de extensão pra direcionar o tráfego com base em seu IP móvel.

      -----------------------------------------------------------------------------
      Receba Johrei e purifique seu Espírito.
      http://www.messianica.org.br/o-johrei.jsp

    • #104849
      zekkerj
      Participante

      A autoconfiguração é mais simples; ela depende de haver um roteador com IPv6 habilitado no mesmo segmento de rede.

      Ao ativar a placa de rede, a estação atribui um endereço especial a ela, chamado "link local". Esse endereço fica na rede fe80::/10, e é montado com base no MAC Address da placa de rede, com o sufixo EUI-64.

      Em seguida, a estação envia uma mensagem de descoberta para um endereço multicast predeterminado — o roteador escuta esse endereço e responde, determinando o prefixo de rede a ser usado pelas estações. A estação junta esse prefixo com o seu sufixo EUI-64, e voilà, temos um endereço IPv6 pronto pra uso na estação.

      -----------------------------------------------------------------------------
      Receba Johrei e purifique seu Espírito.
      http://www.messianica.org.br/o-johrei.jsp

    • #104850
      adilson florentino
      Participante

      Para aqueles que querem saber maiores detalhes sobre mobilidade, cabeçalhos de extensão e outros detalhes relacionados a IPv6, sugiro que visitem o site abaixo:

      http://zappiens.br/

      No campo Buscar Videos digite IPv6, são dezenas de videos gravados em português pelo pessoal do NIC.br sobre o assunto.

      Have Fun !!!

    • #104851
      rlcdo
      Participante

      Vamos lá: estudando essa parte de IPv6, descobri o tal do IP Movel (sim, eu não sabia que existia e por isso eu não estava entendendo o que era esse agente externo que dizia que o IPv6 não precisava). Então, pra entender melhor o benefício do IPv6 nos dispositivos móveis, resolvi dar uma pesquisada no IP Móvel. Pra começar, o IP Móvel é o IP usado nas redes 2G, 3G, HSDPA, correto?

      O que eu não entendi é o seguinte: Toda vez que eu ligo e desligo o 3G do meu cel num mesmo lugar, ele muda de IP. Eu ligo ele pega um IP iniciando em 187, desligo o 3G e ligo de novo já pega um outro IP iniciando em 177. Eu li a teoria de como funciona essa relação de agente de origem com agente externo e dispositivo móvel, mas como seria isso na prática? Por que a cada vez que eu desligo e ligo o 3G num mesmo local o IP muda? Como que eu sei quando eu estou na rede de origem?

      Ah, e li sobre o IP Móvel aqui: http://www.gta.ufrj.br/grad/09_1/versao-final/ipmovel/index.html

      E adilson florentino, assim que puder vou assistir aos videos. Alias, assisti um videocast seu com o Gustavo muito bom no blog Coruja de TI falando sobre as certificações da Cisco. Parabéns!

      obs: Coloquei o título do tópico de IPv6, mas antes quero entender o IP móvel pra depois voltar ao IPv6. Quem tiver poder pra isso, pode alterar o título para “Dúvidas em IPv6 e IP Móvel”

    • #104852
      rlcdo
      Participante

      Esse esquema da autoconfiguração então só é possível com endereços privados do tipo ‘endereços de enlace locais’, é isso? E ele seria tipo a auto-configuração da microsoft com o IP 169.254.0.0/16, utilizado pelo recurso APIPA (Automatic Private Internet Protocol Addressing) quando uma máquina não consegue obter dinamicamente as configurações de rede (IP, mascara, Gateway, DNS..)? Se for isso, isso não tem nada de novo e exclusivo do IPv6, né? Ou a novidade é que essa função agora é do protocolo e não mais do S.O?

      ========================================================================
      “Um bloco de endereços IPv6 é reservado para endereços privados, assim como é feito no IPv4. Esses endereços privados são locais somente para um link ou local específico e, portanto, nunca são roteados para fora de uma rede corporativa específica.”
      Esses endereços privados seriam como o bloco 192.168.0.0/16 do IPv4, certo? Com isso, eles são usados em redes locais… mas como ele faria para acessar a Internet? O IPv4 acessa por meio da NAT e o IPv6?

      ==========================================================================
      No IPv6 a porção de rede é chamado prefixo e a porção de host é a ID de interface, é isso?

      ===========================================================================
      O “prefix-length” na configuração estática EUI-64 é sempre “/64”?

      ============================================================================
      “Um ISP agrega todos os prefixos de seus clientes em um único prefixo e anuncia esse único prefixo para a Internet de IPv6. O espaço de endereços aumentado é suficiente para permitir que as organizações definam um único prefixo para toda a sua rede.”
      O que isso quer dizer?

    • #104853
      zekkerj
      Participante

      @rlcdo: "Esse esquema da autoconfiguração então só é possível com endereços privados do tipo ‘endereços de enlace locais’, é isso?"

      A idéia de "endereço privado" não existe mais. O endereço é "de enlace local", no sentido de que não é roteável — até pq não é garantido de ser único.

       

      @rlcdo: "E ele seria tipo a auto-configuração da microsoft com o IP 169.254.0.0/16, utilizado pelo recurso APIPA (Automatic Private Internet Protocol Addressing) quando uma máquina não consegue obter dinamicamente as configurações de rede (IP, mascara, Gateway, DNS..)?"

      Sim. Ou melhor, quase. Pq parece ser, na verdade, o contrário: os endereços APIPA é que teriam sido criados pra imitar os endereços de link local.

       

      @rlcdo: "Se for isso, isso não tem nada de novo e exclusivo do IPv6, né?"

      Tem uma diferença fundamental, nova e exclusiva: todas as interfaces sempre têm um endereço de enlace local, independente de qualquer outro endereço que ela tenha (e ela pode ter vários). E ao contrário do IPv4, onde esse esquema foi criado apenas pra permitir que a estação consiga se comunicar com alguma gerência (e assim teoricamente resolver o problema que impediu de receber a configuração), o endereço de link local do IPv6 faz parte do protocolo, e é usado em várias situações onde não seja necessário comunicar fora do link local.

      Em particular, protocolos de roteamento como o RIP e o OSPF usam o endereço de link local para "falar" com os vizinhos do mesmo link.

       

      @rlcdo: "Ou a novidade é que essa função agora é do protocolo e não mais do S.O?"

      Quem disse que isso é do S.O.? Outros SOs também usam endereços APIPA — mesmo que com outro nome. Pesquise por "AVAHI" no Linux.

       

      @rlcdo: "Um bloco de endereços IPv6 é reservado para endereços privados, assim como é feito no IPv4"

      Está escrito assim? Se está, está errado. Os endereços de link local não são endereços privados. São endereços de link local. Os endereços privados até foram definidos originalmente no IPv6 ("site local"), mas hoje em dia são considerados obsoletos. [https://tools.ietf.org/rfc/rfc3879.txt]

       

      @rlcdo: "Esses endereços privados seriam como o bloco 192.168.0.0/16 do IPv4, certo? Com isso, eles são usados em redes locais… mas como ele faria para acessar a Internet? O IPv4 acessa por meio da NAT e o IPv6?"

      A idéia é que esses endereços "site local" não acessariam a internet. Se houvesse necessidade de acessar a internet, usa-se-ia (uia, uma mesóclise) endereços unicast globais. Mas o comitê chegou à conclusão de que manter um mecanismo desses ativo levaria as pessoas a recriar o NAT. Sim, o NAT não existe mais.

      Qualquer provedor que forneça acesso em IPv6 tem que fornecer não um IP, mas um prefixo /64 para o cliente. O cliente usa esse prefixo para acessar a internet, seja com um único IP, seja com todas as suas estações.

       

      @rlcdo: "No IPv6 a porção de rede é chamado prefixo e a porção de host é a ID de interface, é isso?"

      Bem, já se chamava a porção de rede de prefixo desde a invenção do CIDR…

       

      @rlcdo: "O "prefix-length" na configuração estática EUI-64 é sempre "/64"?"

      Não precisa ser. Mas como o sufixo EUI-64 gera um identificador de interface com 64 bits, faz sentido que os outros 64 bits sejam bits de rede.

       

      @rlcdo: "Um ISP agrega todos os prefixos de seus clientes em um único prefixo e anuncia esse único prefixo para a Internet de IPv6. O espaço de endereços aumentado é suficiente para permitir que as organizações definam um único prefixo para toda a sua rede." O que isso quer dizer?

      Quer dizer que há tantos endereços que mesmo que sejam distribuídos 10x mais rápido que hoje, ainda levaria mais tempo pra que se esgotassem que toda a história da humanidade.

      Quer dizer também que o esquema foi criado pensando em agregação e otimização; assim, mesmo com uma quantidade avassaladora de prefixos ativos, as operadoras poderão agregar esses prefixos em prefixos mais curtos (ou seja, sumarizar rotas).

       

      -----------------------------------------------------------------------------
      Receba Johrei e purifique seu Espírito.
      http://www.messianica.org.br/o-johrei.jsp

    • #104854
      rlcdo
      Participante

      @zekkerj: “Está escrito assim? Se está, está errado. Os endereços de link local não são endereços privados. São endereços de link local.”

      Sim, no CCNA Exploration 4.0, módulo 4, capítulo 7, seção 7.3.2 tem: endereço de unicast global de IPv6, endereços reservados e endereços privados sendo divididos entre endereços locais de site (que diz ser semelhantes à alocação de endereços para internet privada no IPv4 da RFC 1918 de hoje e que estava sendo substituído desde 2003 pela RFC 3879) e endereços de enlace local.

      Então não é mais utilizado os endereços locais de site? Isso significa que para redes IPv6 não existem mais endereços de rede privada como no IPv4, apenas os endereços de enlace local que não são roteáveis nem na rede local e que são bem parecidos com os IPs utilizados pela APIPA, é isso? Então numa empresa com 50 computadores, ao invés de termos um ou dois IPs públicos e o resto todo numa rede privada com acesso a internet, com o IPv6, por possuir um espaço de endereçamento enorme, teremos os 50 computadores com IP de unicast global?

      ======================================


      @zekkerj
      : “Qualquer provedor que forneça acesso em IPv6 tem que fornecer não um IP, mas um prefixo /64 para o cliente. O cliente usa esse prefixo para acessar a internet, seja com um único IP, seja com todas as suas estações.”

      Então da mesma forma que ele oferece um prefixo (endereço de rede) /64 para um cliente residencial, que é usado em apenas um ou dois computadores, ele oferece para uma empresa que tem 200 computadores, e aí o que vai mudar, no caso da empresa que tem 200 computadores, é o ID de interface de cada computador no IP, é isso?
      Então inicialmente todos os IPv6 oferecidos terão prefixo /64?

      ==========================================================

      Em um nó (computador) podemos ter vários IPv6 configurados numa única placa de rede. E IPv4, podemos ter mais de 2?

    • #104855
      zekkerj
      Participante

      @rlcdo: "Então numa empresa com 50 computadores, ao invés de termos um ou dois IPs públicos e o resto todo numa rede privada com acesso a internet, com o IPv6, por possuir um espaço de endereçamento enorme, teremos os 50 computadores com IP de unicast global?"

      Sim.

       

      @rlcdo: "Então da mesma forma que ele oferece um prefixo (endereço de rede) /64 para um cliente residencial, que é usado em apenas um ou dois computadores, ele oferece para uma empresa que tem 200 computadores, e aí o que vai mudar, no caso da empresa que tem 200 computadores, é o ID de interface de cada computador no IP, é isso?"

      Novamente, sim. Observe que um com 64 bits de host, você pode criar uma internet inteira para cada endereço da internet atual. São muitos, muitos, muitos endereços.

       

      @rlcdo: "Então inicialmente todos os IPv6 oferecidos terão prefixo /64?"

      Não. Vc pode perfeitamente criar redes com qualquer tamanho de prefixo entre /1 e /127.

      -----------------------------------------------------------------------------
      Receba Johrei e purifique seu Espírito.
      http://www.messianica.org.br/o-johrei.jsp

    • #104856
      rlcdo
      Participante

      @zekkerj: “Não. Vc pode perfeitamente criar redes com qualquer tamanho de prefixo entre /1 e /127.”

      Mas os ISP terão algum padrão de prefixo para fornecimento de IP? Por exemplo, toda mundo que assinar internet da NET, OI, GVT terá um prefixo /64, ou cada ISP pode fornecer pra cada assinante um IP com um prefixo diferente?

    • #104857
      zekkerj
      Participante

      Pelo que li até agora, os ISPs fornecerão redes /64. Mas não sei dizer se isso é obrigatório, ou apenas comodidade. Mas é certo que cada assinante receberá um prefixo próprio para sua rede local.

      -----------------------------------------------------------------------------
      Receba Johrei e purifique seu Espírito.
      http://www.messianica.org.br/o-johrei.jsp

    • #104858
      adilson florentino
      Participante

      O NIC.br recomenda utilizar:

      •/64 a /56 para usuários domésticos: Para usuários móveis pode-se utilizar /64, pois normalmente apenas uma rede é suficiente. Para usuários residênciais recomenda-se redes maiores. Se o provedor optar por, num primeiro momento, oferecer apenas /64 para usuários residenciais, ainda assim recomenda-se que no plano de numeração se reserve um /56.
      •/48 para usuários corporativos. Empresas muito grandes podem receber mais de um bloco /48.

      Para planejar a rede é preciso considerar que para cada rede física ou VLAN com IPv6 é preciso reservar um /64. Esse é o tamanho padrão e algumas funcionalidades, como a autoconfiguração dependem dele. É preciso considerar também a necessidade de expansão futura, assim como a necessidade de agregação nos protocolos de roteamento.

      Fonte: http://ipv6.br/entenda/enderecamento/#recomendacao

      PS: Entretanto, cada ISP é livre para atribuir o tamanho de rede que quiser, talvez isto seja mais um fator a ser levado em conta na hora de escolher seu provedor.

    • #104859
      zekkerj
      Participante

      Bem lembrado, o site ipv6.br. Lembrei de um curso online que eles ofereceram, que me valeu bastante.

      http://ipv6.br/curso/

      -----------------------------------------------------------------------------
      Receba Johrei e purifique seu Espírito.
      http://www.messianica.org.br/o-johrei.jsp

    • #104860
      rlcdo
      Participante

      Muito bom! Já vou fazer o download pra quando eu tirar minha certificação CCNA, começar a fazer esse curso =)

      Agora é só curiosidade, no Brasil algum ISP já começou a distribuir IPv6? Se sim, qual?

      E quanto ao IP Móvel que eu tinha perguntado, o IP Móvel é o IP usado em que tipo de redes? 2G, 3G, HSDPA?

Visualizando 14 respostas da discussão
  • Você deve fazer login para responder a este tópico.